De Chefe de Gabinete de Requião, Segurança de Alkmin, atuar na Interpol, a Secretário de Segurança de Richa

Outra pasta que estava gerando muita expectativa era a Secretaria de Segurança Pública, pelos desafios que precisam ser vencidos. Beto Richa escolheu um nome que ameniza a rivalidade entre as polícias civil e militar porque é de fora do quadro. O delegado da Polícia Federal Reinaldo de Almeida Cesar é presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, já trabalhou em várias áreas, como polícia fazendária, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, imigração, passaporte e controle de estrangeiros. Atuou também na Interpol, no campo da cooperação policial internacional.
Reinaldo é muito conhecido no meio político paranaense, pois é filho do ex-deputado estadual pelo PMDB Djalma de Almeida Cesar, que também já foi Secretário de Estado.
O novo Secretário de Segurança fez Direito na UFPr, onde atuou no movimento estudantil, e começou na política partidária pelo PMDB, partido pelo qual chegou a ser Chefe de Gabinete do Governador Roberto Requião.
Depois disso Reinaldo fez concurso para Delegado da Polícia Federal e nessa condição foi designado para trabalhar como segurança do candidato a presidente do PSDB Geraldo Alkmin.
Aliás, uma das alternativas que Reinaldo de Almeida Cesar tinha era justamente a de trabalhar no Governo de São Paulo, dado o conhecido apreço e a simpatia pessoal que Alkmin tem por ele, construídos a partir da convivência que tiveram na eleição presidencial.
Beto Richa, tal como Requião, foi buscar um técnico de fora das polícias civil e militar para comandar a segurança no Estado.
Reinaldo é bom conhecedor da segurança pública e conhece bem as particularidades do Paraná, demonstrando estar preparado para a função no discurso de chegada, com um padrão de conciliador conclama a união da sociedade, da classe política e das corporações da área de segurança no Estado para vencer os problemas.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder