Apesar de Gurgel, cresce pressão e base pede cabeça de Palocci

No inicio da tarde de hoje já se cogitava de que o parecer do MPF fosse pelo arquivamento dos pedidos de investigação contra Palocci e nem assim as manifestações pela sua saída do governo esfriaram.
O fato esta em que o governo tem dificuldade em estancar a crise envolvendo o ministro da Casa Civil, Antônio Palocci. A decisão da senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) de assinar um pedido de CPI para apurar o enriquecimento do ministro cresce acendeu a luz vermelha e muita gente começa a defender a ideia de afastamento. Com a assinatura de Ana Amélia, só faltam mais sete para se obter o número mínimo de apoios para a CPI. O presidente da Força Sindical e deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), mais conhecido como Paulinho da Força, defendeu nesta segunda-feira o afastamento de Palocci para evitar que as denúncias que pesam sobre o ministro petista “dificultem as ações governamentais” e “contaminem a agenda positiva” do governo federal. Na semana passada, o senador Pedro Simon (PMDB-RS), também pediu a cabeça do ministro. O cerco está fechando.
O dia terminou nesta segunda-feira com a noticia de que Gurgel, MPF, determinou o arquivamento dos pedidos de investigação do vertiginoso enriquecimento de Palocci e pouca gente se arriscando a afirmar que o Ministro resistira.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder