Elio Gaspari quer advogado no STF: Barroso, Fachin ou Malheiros

Na coluna deste domingo, publicada em diversos jornais do país, Elio Gaspari argumenta que os advogados precisam ter vez  no STF. Eis os fundamentos:
“Neste ano abrem-se duas vagas no Supremo Tribunal Federal, e a doutora Dilma terá uma oportunidade para reequilibrar a composição da Corte. Atualmente ela é toda formada por pessoas vindas da magistratura ou da advocacia do Estado.
Desde a aposentadoria do ministro Eros Grau, em 2010, não há um só ministro que, antes de ser nomeado para o Supremo, fosse advogado militante, daqueles que tratam bem a secretária do cartório porque um dia poderão precisar dela.
O magistrado pode achar que é Deus. O procurador acha que advoga em nome do Padre Eterno. Já o advogado militante rala e, às vezes, é confundido com o o demônio. Alguns grandes ministros do Supremo vieram desse ramo da profissão. Nelson Hungria, por exemplo, ou Evandro Lins e Silva e Vitor Nunes Leal, que tiveram breves passagens por cargos políticos.
Para que não se diga que não há nomes, há três na praça:
1) O carioca Luís Roberto Barroso.
2) O paranaense Luiz Fachin.
3) O paulista Arnaldo Malheiros.
Qualquer advogado militante que seja nomeado para o STF perderá dinheiro, e muito”.

Leia mais sobre o tema:

 16/11/2010
Disputa pela nova vaga no STF começa hoje

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes afirmou nesta terça-feira que a indicação do 11º integrante do tribunal deve acontecer “a partir de hoje”. Segundo ele, o próximo integrante deve ter o nome anunciado rapidamente para que possa passar ainda neste ano pela sabatina no Senado. Desde o fim do primeiro semestre, o Supremo atua com apenas dez ministros, devido à aposentadoria de Eros Grau. O mais cotado para assumir a vaga seria o atual advogado geral da União, Luís Inácio Adams. O ex-presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Cesar Asfor Rocha também é cotado. O Paraná concorre com o jurista Luis Edson Fachin, que já tentou nas últimas indicações mas não obteve o aval do Presidente Lula. Com o apoio de segmentos do PT Fachin deve fazer uma nova tentativa, no que é estimulado por amplos setores da sociedade paranaense que reivindica a presença no STF desde muito tempo.

08/09/2009
FACHIN NO STF

A iniciativa de Requião de lançar o nome de Fachin para o STF, através de um pronunciamento na TV EDUCATIVA, deixou em alguns adversários do Governador a sensação de que ele apenas quis apropriar-se da paternidade da idéia. Mas a informação que tive foi de que Requião apenas atendeu o pedido de um dos ministros do próprio STF para lançar o nome de Fachin já. Foi obediente e agiu com a necessária agilidade. O curioso é que Requião tomou a iniciativa sem ter qualquer contato prévio com Fachin. É isso. E como a campanha para alojar Fachin no STF não tem partido, cabe a todos os paranaenses agir com a mesma agilidade do Governador e fazer o possível para contribuir na árdua batalha que vem pela frente. Requião, seguindo a orientação do ministro do STF, embarca nesta quarta-feira para Brasília, onde fica até o final de semana, com a tarefa de falar com Lula sobre a indicação de Fachin.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder