Reajuste aos professores

O governo propôs nesta terça-feira aos sindicatos dos professores de universidades estaduais um reajuste salarial de 31,73% em 4 ou 5 parcelas anuais. Com isso, a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) espera impedir a greve ameaçada pelos docentes em uma paralisação realizada pela categoria no último dia 7 de março. A proposta, divulgada no fim da tarde desta terça passou a ser analisada pelos sindicatos em assembleias realizadas em várias cidades do estado. 

Leia mais:

QUINTA-FEIRA, 15 DE MARÇO DE 2012
Paraná: Trégua dos professores

Acabou na tarde desta quinta-feira a greve dos professores da rede municipal de Curitiba. A Prefeitura de Curitiba manteve a proposta de 10% de reajuste no salário e uma gratificação no PPQ (Programa de Produtividade e Qualidade) que varia entre R$ 275 a 550. O diferencial na nova rodada de negociação é o fato da Secretaria de Educação garantir a criação de uma comissão para a incorporação da PPQ no salário dos professores, diferente do que é feito atualmente. O piso do magistério em Curitiba é mais do que o dobro do fixado pelo governo federal e está em R$ 3,4 mil.

QUARTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2012
DOCENTES FORAM AS RUAS

Segundo o Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac) foram as ruas mais de 5 mil professores da rede pública municipal na manhã desta quarta-feira (14). A categoria reivindica que o piso salarial de docentes com curso superior passse de R$1.199,64 para R$ 1.800 e que a Lei Nacional do Piso, a qual determina que 33% da jornada de trabalho seja dedicada à hora-atividade (tempo extra classe para capacitação e preparo das aulas), seja cumprida pela prefeitura.
Em 29 de fevereiro a prefeitura propôs aumentar o piso para R$ 1.319,90, no entanto, os sindicalistas avaliam o reajuste como insuficiente.

SEGUNDA-FEIRA, 12 DE MARÇO DE 2012
PROFESSORES – parada geral para abraçar o mundo

Os professores da rede municipal de ensino de Curitiba vão realmente entrar em greve nesta quarta-feira (14), já os professores da rede estadual de ensino do Paraná devem parar na quinta-feira (15).
Os professores da rede municipal reivindicam reposição salarial, melhores condições de trabalho, plano de carreira e melhor atendimento no Instituto Curitiba de Saúde (ICS).
Já os da rede estadual querem implantação de um terço da jornada dos professores como hora-atividade, aplicação do novo valor do Piso Nacional do Magistério que está, no Paraná, 18,67% abaixo do Piso Nacional, reajuste de 14,13% para funcionários(as) de escolas, a implantação de um novo sistema de atendimento à saúde e a destinação de, no mínimo, 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação.
De acordo com APP-Sindicato, haverá uma passeata do centro de Curitiba rumo ao Palácio Iguaçu.
Com uma pauta tão ampla e genérica parece que os professores vão convocar os governos para a briga e é pouco provável que nem o Federal, Estadual e Municipal vão atender os pleitos como estão postos.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder