GARCEZ MANTIDO NA PRESIDÊNCIA DO CONSELHO

Ficou decidido nesta quinta-feira (03), pelos membros do Conselho de Ética da Câmara de vereadores, que o Presidente do Conselho continua sendo Garcez Filho. Antes da votação, Garcez fez explicações pessoais e houve manifestações dos vereadores presentes. Os vereadores Jorge Yamawaki (PSDB) e Valdemir Soares (PRB) votaram pela permanência, enquanto Dirceu Moreira (PSL) e Noemia Rocha pelo afastamento de Garcez do cargo.
Dessa forma, com o empate, Garcez optou por permanecer no cargo, que havia colocado a disposição após as recentes denúncias. “É uma decisão de momento, visto que há um dissenso no colegiado.
Ela pode ser revista, pois não pode haver constrangimentos ao Conselho de Ética.
Desde o início, a presidência buscou agir com firmeza e garantir transparência a todos os atos em análise”, declarou Francisco Garcez.
Para a vereadora Professora Josete (PT), suplente, o afastamento imediato seria uma medida para preservar a instituição enquanto a apuração das denúncias não é concluída.
Garcez é um bom cidadão e um empresário de comunicação com um bom trabalho.
Um constrangimento desnecessário.
Tudo é inusitado.
A Câmara de Vereadores de Curitiba é uma nau sem rumo.
O ato era absolutamente inútil.
Jamais vi quem pede seu afastamento votar contra seu afastamento.

Leia mais:

QUARTA-FEIRA, 2 DE MAIO DE 2012

MELEOU O PEDIDO DE AFASTAMENTO DOS VEREADORES


Sob a alegação de que o pedido de afastamento do presidente da casa, João Luiz Cordeiro (PSDB), do presidente do Conselho de Ética da Câmara de Vereadores de Curitiba, Francisco Garcez (PSDB) e do Corregedor Geral,Roberto Hinça (PSD), impetrado pela oposição, não estava de acordo com as normas da Casa, os vereadores o rejeitaram. Com o intuíto de evitar o quórun, os parlamentares da bancada da situação já haviam esvaziado a sessão.





TERÇA-FEIRA, 1 DE MAIO DE 2012

BOM EXEMPLO: VEREADOR DEVOLVE DINHEIRO

MATÉRIA DO JORNALE

BOM EXEMPLO

VEREADOR CITADO EM DENÚNCIAS DEVOLVE DINHEIRO

Seg, 30 de Abril de 2012 18:14
Francisco Garcez (PSDB) vai depositar R$ 31.500 mil em juízo

O presidente do Conselho de Ética da Câmara Municipal de Curitiba, vereador Francisco Garcez (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (30) que vai depositar em juízo R$ 31.500, 00. O valor, de acordo com Garcez, corresponde à verba que o jornal dele, Jornal Folha do Boqueirão, recebeu para divulgação de publicidade do legislativo municipal nos últimos anos.

Além disso, o presidente convocou uma reunião do Conselho para uma reunião na quarta-feira (2), às 14h30, quando deve ser realizado um plebiscito entre os integrantes para avaliar de Garcez fica ou não no cargo.

“Se o Conselho achar que devo me afastar, aceito prontamente(…) Eu não me sinto a vontade, por isso, quero me colocar a disposição”, afirmou o vereador. Ainda de acordo com o parlamentar, ele não se beneficiou do esquema praticado pela Câmara de Curitiba para veicular propaganda em veículos de comunicação regionais.

A série “Negócio Fechado” do jornal Gazeta do Povo e da RPC TV mostrou que em abril de 2011, dois anos após Garcez assumir o mandato, o periódico Jornal Folha do Boqueirão emitiu três notas fiscais, em sequência e em um único dia, para a Câmara totalizando R$ 14 mil.

Garcez disse que se afastou da direção do jornal assim que assumiu, porém, uma alteração no contrato da empresa mostra que ele transferiu a sociedade para outra pessoa dois meses após as primeiras denúncias de irregularidades no legislativo se tornarem públicas, em 2011.

“Houve uma falha técnica, uma barbeiragem administrativa. Esse é meu crime, eu não fui beneficiado”, argumentou o vereador.

SEXTA-FEIRA, 23 DE SETEMBRO DE 2011

DEROSSO X GARCEZ

João Cláudio Derosso (PSDB),defendeu-se nesta quinta-feira no Conselho de Ética da Câmara Municipal de Curitiba. Derosso pede a anulação de todo o trabalho do conselho de ética e arquivamento do pedido de afastamento dele por até 90 dias. Sua defesa contra o relatório proposto pelo vereador Jorge Yamawaki, fundamentou-se na alegação de que ele não teve o direito à ampla defesa. Derosso afirma ser inocente. Entretanto, o vereador Francisco Garcez (PSDB), presidente do Conselho de Ética, defendeu o relatório de Yamawaki. Agora, diante do exposto, o Conselho de Ética tem sete dias para analisar a contra-argumentação de Derosso.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder