VICE DE FRUET

O pré-candidato à prefeitura de Curitiba Gustavo Fruet (PDT) escolheu Roseli Isidoro para compor sua chapa como vice-prefeita. Roseli já foi vereadora e servidora da UFPR e atualmente ocupa cargo em comissão no Senado Federal, lotada no gabinete do senador Sergio Souza (PMDB), suplente de Gleisi Hoffmann. A escolha é do agrado do casal Gleisi e Paulo Bernardo.

Leia mais:

SEXTA-FEIRA, 25 DE MAIO DE 2012

Vice Roseli ou Pedro

Gustavo Fruet (PDT) está muito próximo de ter seu candidato a vice: o nome deve sair da Câmara Municipal de Curitiba. A escolha estaria em torno da ex-vereadora Roseli Izidoro (PT). Outra opção seria o vereador Pedro Paulo (PT). Os dois nomes tem menor potencial eleitoral em relação ao deputado federal Ângelo Vanhoni, preferido de 10 entre 10 petistas para aceitar a missão de candidato a vice.

TERÇA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2012

Fruet procurando petistas

Enquanto deputados e lideranças do PMDB vão na direção de Luciano Ducci, Gustavo Fruet (PDT) procura petistas nos bairros. Ele está participando de reuniões com militantes. Na noite desta terça-feira, conversa com militantes e dirigentes das zonais do Cajuru, Boa Vista, Matriz e de Santa Felicidade. Nas reuniões, está agradecendo o apoio e pedindo empenho na campanha. A presidente do PT Curitiba, Roseli Isidoro, acompanha o pré-candidato de olho na vaga de vice. Com a recusa do deputado federal Angelo Vanhoni, a indicação pode sobrar para a ex-vereadora.

QUINTA-FEIRA, 3 DE MAIO DE 2012

FRUET (PDT) FAZ PRIMEIRO ENCONTRO COM PT

  Gustavo Fruet, pré-candidato do PDT à prefeitura de Curitiba, realizou sua primeira reunião nesta quarta-feira (02), com o diretório municipal do PT, partido com o qual decidiu se aliar para as eleições deste ano. Fruet tentou rebater os questionamentos sobre as críticas ferrenhas que fazia ao PT e ao governo Luiz Inácio Lula da Silva, quando era deputado federal pelo PSDB e integrou as CPIs dos Correios e do Mensalão. “Eu não renego essa história”, acentuou. “Mas a aliança se dá em pontos de convergência e aqui há muito mais pontos de unidade, temos mais pontos de encontro que desencontro. Não foi contra o PT, foi contra a corrupção; o combate à corrupção não tem partido e deveria unir as pessoas”, destacou. Segundo a presidente do PT de Curitiba, Roseli Isidoro, o nome mais cotado para ser o vice de Fruet é o do deputado federal Ângelo Vanhoni.

SÁBADO, 28 DE ABRIL DE 2012

DE OLHO EM 2014, PT É FRUET

Neste sábado o encontro municipal do Partido dos Trabalhadores, PT, decidiu por não lançar candidatura própria e coligar-se ao PDT, Partido Democrático Trabalhista, que terá como candidato a prefeito o ex-Deputado Federal Gustavo Fruet.
No processo de discussão que conduziu a decisão lideranças importantes do PT paranaense se postaram em campos diferentes, com Tadeu Veneri e Dr. Rosinha defendendo a tese da candidatura própria, enquanto Gleisi Hoffman, Paulo Bernardo e Angelo Vanhoni sustentaram a tese da coligação com o PDT.
A tendência do partido agora é unir-se em torno da candidatura de Fruet para tentar impor uma derrota ao governador Beto Richa na capital paranaense, adquirindo condições de construir uma candidatura de oposição com força para enfrenta-lo em 2014, que é o que está de fato em jogo para o PT nas próximas eleições municipais e foi o que prevaleceu no encontro.
Com a decisão do PT o quadro em Curitiba estará se consolidando com 4 candidaturas importantes: Ducci, o atual prefeito, Ratinho Jr, Rafael Greca e Gustavo Fruet.


QUINTA-FEIRA, 26 DE ABRIL DE 2012

PT REALIZA ENCONTO DECISIVO SOBRE PREFEITURA DE CURITIBA

A partir de amanhã, sexta-feira (27), será aberto pelo Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) de Curitiba a programação do 18º Encontro Municipal sobre Tática Eleitoral e Política de Alianças – Eleições 2012. Participam do encontro 300 delegados eleitos no dia 15 de abril, os quais irão decidir as diretrizes do partido na disputa pela sucessão municipal. Os ministros Paulo Bernardo (Comunicações) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) são delegados e participarão da discussão de conjuntura política juntamente com parlamentares das bancadas federal e estadual petistas, vereadores do PT de Curitiba,  lideranças dos movimentos sociais e o secretário geral do PT Nacional, Elói Pietá. Estima-se que o encontro termine por volta das 16h de sábado e com a definição se a legenda fará aliança com candidato de outro partido ou se lançará com candidatura própria.


QUINTA-FEIRA, 12 DE ABRIL DE 2012

PAULO BERNARDO E GLEISI PREFEREM ALIANÇA COM FRUET

No próximo domingo (15) haverá a votação que definirá se o PT vai lançar candidatura própria ou fará aliança com o ex-deputado Gustavo Fruet (PDT) na disputa pela prefeitura de Curitiba. Além dos 2600 filiados do PT, também vão às urnas os ministros Paulo Bernardo (Comunicações) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil), que são favoráveis à aliança. Já os deputados Tadeu Veneri e Dr. Rosinha defendem a candidatura própria e querem a vaga de candidato.


QUARTA-FEIRA, 4 DE ABRIL DE 2012

PT pró Fruet ataca ala contrária

Os petistas que apoiam a candidatura de Gustavo Fruet (PDT) à prefeitura de Curitiba resolveram criar uma ofensiva mais agressiva para neutralizar a corrente do partido que não quer apoiar Fruet e defende candidatura própria. A chapa denominada “Uma aliança para mudar Curitiba” lançou um blog e um perfil no Facebook. De imediato, publicaram um manifesto de repúdio à ala do partido que quer candidato. Com palavras duras, a nota com certeza vai jogar mais gasolina na fogueira interna do PT, dividido em relação aos rumos do partido na eleição municipal de outubro. Confira alguns trechos do repúdio: “Vimos a público manifestar nossa indignação e nosso repúdio à forma destrutiva com que militantes de pensamento contrário ao nosso têm se posicionado na imprensa e por meio das redes sociais da internet para defender sua visão de organização partidária. Lamentamos o ponto em que chegou o debate interno de forças que divergem da avaliação que temos sobre a construção de uma aliança forte e competitiva em torno da candidatura do pedetista Gustavo Fruet, que nos remete à possibilidade concreta de vir a governar Curitiba e abrir espaço em nossa cidade para a promoção plena das políticas sociais do nosso governo federal, que tanto farão a diferença na qualidade de vida do povo curitibano, especialmente das camadas mais vulneráveis de nossa população”. Num outro trecho, o manifesto aponta como “ inaceitável que se confunda essa diversidade de ideias com a autofagia ou com a manifestação de ilações e de denúncias irresponsáveis, pois isso só serve à desconstrução do próprio PT – partido dos trabalhadores e das trabalhadoras -, à agressão e desqualificação de pessoas que se dedicam há décadas ao projeto coletivo e, em última análise, só favorece às forças de direita que querem ver nossa legenda enfraquecida e sem capacidade de liderar uma grande oposição ao grupo que se instalou há praticamente 30 anos no poder em Curitiba”. A nota também critica, sem citar nomes, os cabeças do movimento pró-candidatura própria- Tadeu Veneri e dr Rosinha. Sem sombra de dúvidas, a violência com que integrantes da chapa que defende a candidatura própria à prefeitura se manifestam só beneficia àqueles que querem atacar o PT e não contribui para fortalecer um projeto maior que é o que nos levou, com passos seguros e com muito discernimento, a virar a página da história depois de mais de 500 anos de exploração e a governar este país”.

DOMINGO, 1 DE ABRIL DE 2012

PT PRAGMÁTICO EM CURITIBA

O Campo Majoritário do Partido dos Trabalhadores (PT) reuniu suas correntes – Construindo um Brasil Novo, Movimento PT e Mais PT – nesse sábado em Curitiba e decidiram defender o que chamaram de uma aliança vencedora na disputa à prefeitura de Curitiba.
Assim, a tese que vai orientar a ação do Campo Majoritário é a da aliança com Gustavo Fruet, uma postura pragmática e que coloca a eleição de 2014 ao Governo do Estado como elemento mais importante do futuro do partido no Estado. Foi trabalhando assim que o PT, finalmente, fez Lula presidente, como lembram alguns.
Paulo Bernardo, Gleisi, Vanhoni, André Vargas e outras importantes lideranças locais do partido estão fechados com a tese e vão sustenta-la nas instâncias do PT que definirá o comportamento do partido nas eleições em Curitiba.
Como o Campo Majoritário é majoritário em Curitiba, a resistência contrária a aliança com Fruet vai ter que ter muita unidade e mobilização.

SEXTA-FEIRA, 30 DE MARÇO DE 2012
PT busca consenso

O seminário do Padre Chico, no Pinheirinho, será o cenário de uma reunião do PT neste sábado para discutir a candidatura de Gustavo Fruet (PDT). O deputado federal André Vargas e o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, que tentam convencer o resto dos petistas a apoiar Fruet comandam a reunião. Mas a decisão final é na eleição interna dia 29.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder