Resumo de Veja, Época e Istoé.

Companheiros do Blog, segue o resumo das revistas semanais deste sábado:  

VEJA: A capa é um especial sobre o consumo de álcool por menores de idade no Brasil e o desrespeito às leis que regulam essa prática. A matéria acompanha a rotina de alguns jovens que não têm dificuldade alguma para comprar bebidas. Uma suíte mostra como os EUA combatem com sucesso este mal.  Das reportagens nacionais, a mais importante mostra um novo laranja no esquema da Delta. Morador da periferia do Rio, no início do ano ele sacou R$ 5 milhões em dinheiro provenientes da construtora. O novo laranja se junta ao verdadeiro pomar cultivado pela Delta. A revista recorda a atuação de cada um deles.  Outra reportagem mostra como o ex-presidente da Valec, José Francisco das Neves, o Juquinha, preso nesta semana, viu seu patrimônio crescer mais de 10.000% no período em que comandou a estatal. O bem-afortunado era indicação do presidente então presidente do PL (atual PR), Valdemar da Costa Neto.  Por fim, Veja destaca que o delegado do caso dos “aloprados”, aqueles do dossiê anti-Serra, afirmou a amigos que a PF protegeu os mandantes do crime e que Lula tinha conhecimento da compra do dossiê.  Em notas, o destaque vai para a vereadora curitibana Renata Bueno. O texto mostra que, com uma campanha pronta para ganhar as ruas, Renata se viu obrigada pelo próprio pai, Rubens Bueno, a abandonar a candidatura em detrimento… , segundo Veja, dele próprio, que se tornou vice na chapa do candidato à reeleição Luciano Ducci. Contrariada, segundo Veja, a bela avisou que não subirá no palanque. Ainda em política, outra nota destaca que, com o cartaz ruim com o eleitorado feminino, Fernando Haddad insistirá para que Dilma e Marta apareçam na sua campanha. Diante da recusa da segunda, mandou dizer que, se ela não participar, vai pressionar para sua saída do PT. 

ÉPOCA: tem como capa e dá um grande especial sobre a descoberta do Bóson de Higgs e a importância do feito para a ciência. Como curiosidade, um trecho do especial, um artigo assinado pelo físico Marcelo Gleiser, fala sobre o que há de espiritual na física de partículas.  A única matéria nacional fala sobre “chatagens” realizadas por dois senadores para manter arranjos políticos. Segundo o texto, o líder do governo Eduardo Braga ameaçou a deputada Rebecca Garcia, candidata do PP à prefeitura de Manaus, de levar a público um caso extraconjugal dela caso a deputada não abrisse mão da candidatura em prol de candidata do PCdoB. E o senador Blairo Maggi, eterno descontente com o espaço dado pelo governo federal a seus aliados, mandou avisar via outro senador, Gim Argello (PTB), que se as coisas não mudassem no Palácio do Planalto, o depoimento de Luiz Antônio Pagot à CPI do Cachoeira poderia “atrapalhar” Dilma e o esquema de arrecadação petista.  Em notas, Felipe Patury diz que, devido à crise entre PT e PSB, Dilma voltou a cogitar o nome do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB) à presidência da Câmara. Como a presidência do Senado já é do PMDB, Dilma não queria que o partido acumulasse a presidência das duas casas. No entanto, a crise com o outrora aliado a faz reconsiderar a possibilidade. Outro efeito da mesma crise, diz a coluna, é que a presidente liberou seus ministros a envolverem-e com as eleições no fim de semana. Antes, ela não queria ninguém do governo participando dos pleitos.

E finalmente, a crise entre PT e PSB também é destaque da principal matéria nacional da ISTOÉ, que mostra que, de olho na eleição presidencial de 2014, o partido já enfrentará o PT em 42 cidades neste ano.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder