Resumo das revistas Veja, Época …

As capas dão o tom das revistas semanais que chegam às bancas neste sábado.
Veja trata do fenômeno da literatura erótica, enquanto Época se ocupa dos amigos virtuais nas redes sociais.
A duas semanas da eleição, realmente são temas bastante oportunos. De relevante, Veja mostra a repercussão da edição da semana passada e sinaliza que as declarações de Marcos Valério foram colhidas por uma pessoa próxima ao publicitário, não numa entrevista com o próprio. A se considerar a revelação da Folha de que a esposa de Valério saiu de casa, parece que a fonte de Veja é a própria. Veja analisa, ainda, o silêncio de Lula e afirma que o PT optou por esse caminho por desconhecer a munição estocada por Valério. A revista também especula a possibilidade de Roberto Jefferson ter sua pena diminuída por ser o delator do esquema.
Em Época, Felipe Patury afirma que Dilma avaliza todas as propagandas do governo assistindo-as e corrigindo-as no final do expediente. É o “outro Conar”.
Sobre o setor elétrico, Época traz nota sobre um estudo do Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia que aponta que hidrelétricas e invasões ameaçam 26 áreas de preservação da Amazônia, e que 7% do desmatamento no ano passado ocorreu  dentro dessas áreas de proteção. Só os projetos hidrelétricos representam ameaça a 17 unidades de conservação, somando 141.000 quilômetros quadrados. Mariana Vedoreto, coordenadora do estudo, diz que essa ofensiva do governo na Amazônia “abre um precedente perigoso”. A revista também revela os ganhadores do Prêmio Época Empresa Verde e premia a CPFL Energia na categoria Mudanças Climáticas Serviços, por conta da criação da CPFL Renováveis. Na categoria Mudanças Climáticas Indústria, quem leva o prêmio é a Camargo Corrêa. Até o momento, Istoé ainda não foi disponibilizada na internet. Por hoje, é isso. Abs.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder