FUNCIONÁRIOS CEDIDOS, SÓ SEM ÔNUS

Uma das medidas do decreto do governador cortando gastos que foi embutida no pacote é a suspensão dos afastamentos e disposições funcionais de servidores com ônus para e pelo o Estado.
Na prática, essa proibição tem efeito de longo alcance. Significa que os funcionários de carreira da prefeitura, por exemplo, que não quiserem trabalhar junto com o futuro prefeito e tentarem espaço no estado poderão até ser aproveitados, mas sem nenhuma despesa para a administração, pois continuarão recebendo o salário da Prefeitura. Os servidores que hoje estão na nessa situação terão dificuldades de renovar a cessão.
Isso evita que o estado tenha que remunerar servidores que lhe são cedidos para outros orgãos da administração pública nas esferas federal e municipal, bem como impede que o Estado continue pagando salário de funcionário que cedeu para estas mesmas instâncias.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder