Resenha das revistas Veja, Istoé e Época

A revista Veja “dá uma viajada” e estampa na capa os malefícios causados pelo consumo excessivo da maconha! Em reportagem mais fria do que pata de pingüim, a semanal  desqualifica que a erva, tão cultivada e consumida por muitos e odiada por tantos outros, traga benefícios a saúde.
As páginas reservadas aos fatos políticos derrubam ainda mais a já baixa temperatura da periódica.
As novidades do PT e as eventuais “novas estrelas” do partido nessas eleições dividem-se em outras páginas, não menos excitantes, com os capítulos da interminável e cansativa novela do mensalão! Arquitetos, decoradores e pobres e mortais leitores poderão matar a curiosidade de conhecer a próxima casa do “criativo” publicitário Marcos Valério. Os réus condenados vão ter que passar por todo tipo de escárnio. A foto de uma página mostra a cela em que o futuro preso passara alguns carnavais e nos presenteia com a significativa informação de que o goleiro Bruno poderá ser companheiro de cadeia do publicitário. Na coluna Radar, um iminente “furo” esta relacionado ao já quase ex-prefeito Kassab. Após piorar, e muito, o caótico trânsito da cidade, o incomparável e não menos carismático gestor paulistano deverá ser presenteado pela Presidenta Dilma com (acredite quem quiser!!!) a pasta do Ministério dos Transportes !!! Vamos aguardar. Se acontecer, Dilma dará um passo importante para consolidar ainda mais a sua base de sustentação.
Um dos poucos destaques da morna e insossa edição de Época, que abre capa com um guia para planejar as férias,  é o consistente artigo de Eugênio Bucci sobre o engessamento a que imprensa se submeteu nos debates eleitorais, que viraram um “jogral de surdos”.  A principal matéria de política projeta a nova geração do PT pós-mensalão, abençoada por Lula, que tem como figuras ascendentes Fernando Haddad e o ministro da Saúde Alexandre Padilha , fase essa que decreta o fim da “geração de guerrilheiros”. O resultado do Data Folha deste sábado que dá folgada dianteira para o candidato de Lula e vai enterrando Serra até a cabeça, vai confirmando a manobra do ex-Presidente.
Sobre o setor elétrico, a coluna de Felipe Patury indica que o Senado deve impor dificuldades à ideia do governo de reconduzir Nelson Hubner à “presidência” (na verdade, direção geral) da Aneel, por influência do empresariado do setor, descontente com as perdas geradas pela MP 579.
Já a IstoÉ faz um oba-oba sobre os 40 anos da Editora Três, que edita a revista, com direito a um especial, até interessante, resumindo a evolução do país e do mundo neste período, mas que peca pelo excesso de fotos do presidente e fundador Domingo Alzugaray ao lado da família e de poderosos. Digno de Caras. Na capa, a vida fora da prisão de condenados por assassinatos de repercussão no país. Enquanto nao chegamos ao emocionante domingo de pleito, busquemos alegria na rodada do Brasileirão … faltou chimarrão para tanta alegria de quem gosta de ver o Verdão no calvário.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder