A tradicional resenha das revistas Veja, Istoé e Época …

Apesar do atraso, vamos ao penúltimo capítulo da saga “as semanais que nos fazem rir e chorar”. A maior delas, nossa admirável Veja, afia o chicote contra Lula e seus amigos. Dessa vez, o ex assessor pessoal Freud Godoy e o não menos influente Paulo Okamotto estão no pelourinho montado por … adivinhem quem ????? … o agora implacável Marcos Valério … O primeiro, diz a revista, pagava contas de Lula e fazia rolos de toda ordem para que o ex-presidente não precisasse tocar no salário. O segundo, delata o nobre ex-publicitário, era quem controlava e enquadrava a turma que estaria a serviço de Lula. Nenhuma prova material … apenas a verborragia do desesperado e já quase encarcerado Marcos Valério. De resto, a “magnifica” descoberta sobre os benecícios da internet e dos tablets na vida dos jovens brasileiros, com direito a capa, e a requentada de temas como a decadente saúde do lunático venezuelano Hugo Chavez e a obrigatoriedade da discriminação de taxas nas notas fiscais. A tal Rosemary começa a perder espaço editorial, mas ainda freqüenta duas páginas com revelações a respeito do favorecimento da ex chefe de gabinete a um suposto grupo de empresários paulistas.

Época dessa semana dedica 80 páginas aos “100 brasileiros mais influentes de 2012”, com destaque para Joaquim Barbosa e outras obviedades como Dilma, Aécio, Lula, Temer, Eduardo Campos, Haddad, Mantega, Paulo Bernardo, etc… Nada extraordinário. Na capa, a revista volta a abordar a rede de influências de Rosemary e descreve com documentos exclusivos como o grupo encabeçado pela amiga de Lula e os irmãos Vieira agia para pressionar o STF e até para tentar indicar um substituto de “confiança” para o aposentado Ayres Britto – tudo de modo a atenuar as penas de Zé Dirceu e outros condenados do mensalão -. É [ara doer a barriga de tanto rir. Cada vez mais a caca ronda o grupo e o ex-presidente. O entrevistado da semana é Gilberto Kassab , que lança oficialmente sua candidatura ao governo de São Paulo em 2014. Na coluna de Felipe Patury, destaque para a ascensão da Odebrecht, que deve faturar mais de R$ 100 bi em 2013, patamar atingido apenas pela Petrobrás e empresas financeiras.

IstoÉ, em outra empreitada editorial de gosto duvidoso, estampa na capa o famigerado fim do mundo e conta como esotéricos, lunáticos e afins têm se preparado para o dia do apocalipse que se aproxima.  Enrola mas só vai acender depois. Depois do título mundial do Corinthians, tudo é possível. A revista conta ainda o declínio do deputado, usineiro e “coronel” Joao Lyra, que já foi o parlamentar mais rico de Congresso e agora afunda em dívidas superiores a R$ 2 bilhões.  E vai faltar cela no Japão para guardar o bando de “curintia” e sua comemoração costumeiramente civilizada! Campeão!!! Abs

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder