Resenha das revistas semanais: Veja, Istoé, Época.

A viagem de Niemeyer dessa para uma outra esta na capa de Veja. O bom velhinho amante das curvas, de charutos e do comunismo, aliás, domina as três publicações semanais. Na política, Veja insiste na petista Rosemary… que conhecia demais Zé Dirceu … que é muito amigo de Lula … e que deixou sua ex chefe de gabinete indicar juiz para ocupar cargo de desembargador … e que a tal moça era craque mesmo no tráfico de influência. De flagrante na reportagem, a foto de Rosemary no feriado de 15 de novembro ao lado de Ze Dirceu e de sua esposa numa praia baiana. O bate bate que pautou a iniciativa de redução da tarifa de energia é abordado em matéria controversa. Assim como elogia a medida, o texto também a compara com o populismo tarifário aplicado por Cristina Kirchner na Argentina … uma certa confusão editorial, digamos. Em relação aos “temas que irão acrescentar conhecimento em nossas vidas”, páginas nos revelam que Pelé namora uma descendente de japoneses bonita e bem sucedida. Um primor jornalístico. A reforma dos estádios brasileiros para a Copa ganhou bom espaço e ótima abordagem. Mostra que os projetos são assertivos e estão no prazo. Outro tópico bem trabalhado trata do interesse de estrangeiros em aprender nosso rico idioma. O português esta em alta lá fora por conta do crescimento.

Época recorre a suas gavetas e reserva quase 30 páginas à biografia de Oscar Niemeyer, esvaziando os demais temas. Grande homenagem ao grande homem. A coluna de Felipe Patury relata que a CNBB se articula para convencer Dilma a indicar o presidente do TJ-ES, Pedro Feu Rosa (Feu Rosa é um  sobrenome conhecido. Não?), a uma cadeira no STF, sob a bênção dos poderosos do Espírito Santo (sem trocadilho), além do ministro Gilberto Carvalho. Mais um magistrado de carreira no STF? (Já foram Lewandowski, Fux, Rosa Weber e Teori). Igreja e poder já foi uma mistura problemática na História. Marina Silva, segundo a coluna, já assume que trabalha para criar novo partida, pelo qual se candidatará à presidência em 2014. Aqui no Blog já mencionamos o interesse mútuo entre ela e o PSS de Roberto Freire.

IstoÉ, que também estampa Niemeyer na capa, conta como o Instituto Lula e o PT  teriam organizado a “operação abafa Rose”, para evitar que a ex-chefe do escritório da presidência em SP dê com a língua nos dentes e multiplique o escândalo da Operação Porto Seguro. Sobre o setor elétrico, nota da coluna Brasil Confidencial relata que opresidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Consumidores de Energia Elétrica, deputado Cesar Halum (PSD-TO), defende acordo para a redução do PIS e da Cofins além do ICMS dos Estados, bem como a possibilidade do consumidor escolher qual distribuidora fornecerá o serviço. A mesma coluna descreve o fiasco do ato em desagravo à condenação de José Dirceu, realizado em Curitiba, ignorado até pelos caciques petistas do Paraná. Ricardo Boechat revela o lobby da indústria de armas junto à Câmara. Parlamentares que participaram de um concurso de tiro enfatizaram os R$ 150 milhões de impostos anuais e os 40 mil empregos gerados pelo setor, mas silenciaram sobre a nova campanha do desarmamento prevista para 2013.
E lá vamos nos….vida dura para quem e mole !!! Abs

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder