Requião analista defende Ezequias

O senador Roberto Requião (PMDB) não perde um lance político. Sempre no melhor estilo irônico, de crítica contundente e sintonizado com o que pensa o povo, especialmente quando os assuntos são Beto Richa, Paulo Bernardo e Gustavo Fruet.
Agora, depois de entrar no debate sobre o subsídio do transporte coletivo em Curitiba, deu pitacos na polêmica causada em torno da revitalização da avenida Batel, onde será usado granito em uma parte do trecho.
Pelo twitter disparou que ” A guerra do granito do Batel dá a medida exata da mediocridade da imprensa em Ctba”, sinalizando que seria uma cortina de fumaça alimentada pela própria prefeitura para desviar o foco de temas polêmicos, como a Urbs e ICI. O prefeito Gustavo Fruet (PDT) não ficou imune à metralhadora de Requião: “Surge nova liderança que anda de táxi, usa havaianas, desmancha calçadas de granito, mas não mexe em tarifas,e pede subsídio para ônibus”. 
Não passou batido também para o senador a notícia de que Ezequias Moreira, diretor da Sanepar, pode assumir um cargo no gabinete de Beto Richa, já que a amizade dos dois é de longa data e Ezequias já foi chefe de gabinete do governador na prefeitura e na Assembléia Legislativa.
Ezequias foi crucificado pela imprensa pelo caso envolvendo a nomeação da sogra fantasma na Assembleia e apesar de ter devolvido o valor equivalente ao salário recebido, a história sempre o persegue.
De novo via twitter Requião tascou, mas na defesa: “Moralistas. Se Taniguchi pode ser secretário, Rossoni presidente da Assembléia, Beto governador, por que implicância com o bom Ezequias?”.
Questionou o senador, acrescentou que “Ezequias está muito acima da média do secretariado do governo. Leal, sério e mais culto que o Beto”.
Em relação a pessoa de Ezequias, Requião tem toda a razão na medida em que já reparou sua falta, passou muito tempo do episódio – o suficiente para cumprir algum castigo -, não consta que tenha sido condenado em nenhuma instância (Ficha Limpa), de onde resulta que as investidas contra Ezequias só podem ser fruto do uso da imprensa por adversários seus – quicá de dentro do próprio governo – para impedir que ocupe cargos mais relevantes.
Se já está em cargo na Sanepar, qual o diferença em de ir para uma secretaria?
Certamente, em termos de articulação política, Beto ganharia muito com a experiência de Ezequias que, diga-se, é reconhecida pelos mais ferrenhos adversários.
TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder