Beto diz que não convidou Pessuti

O governador Beto Richa minimizou a recusa do ex-governador Orlando Pessuti em assumir a presidência da Sanepar. Disse nesta quarta-feira que não convidou Pessuti. Quem o convite teria sido feito pela bancada do PMDB na Assembleia Legislativa. “Ele foi sondado pela bancada, mas preferiu cuidar do partido e não aceitar”, disse Richa. Mesmo sem Pessuti na equipe, o governador acredita que a relação com os peemedebistas está muito sólida.

TERÇA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2013

SANEPAR: NÃO DE PESSUTI RECONDUZ GHIGNONE

A consequência do fracaso da tentativa de levar o ex-governador Orlando Pessuti para a Sanepar foi a recondução de Fernando Ghignone para reassumir a presidência da Sanepar, convite feito nesta terça-feira pelo Governador Beto Richa e imediatamente aceito.
Segundo a assessoria do Palácio Iguaçu, o presidente reconduzido vai coordenar os investimentos de R$ 1,5 bilhão da empresa para os próximos dois anos e Antônio Hallage, que foi designado para a operação tapa buraco com o afastamento de Ghignone, reassume a Diretoria Administrativa da empresa.
O fato revela que a manobra para atrair o PMDB para o governo restou parcialmente frustrada na medida em que Pessuti e parte das lideranças do partido ligadas a ele, entre elas o Senador Sérgio Souza, seguirão fiéis à aliança nacional com o PT e indica as dificuldades que o governador terá pela frente para ter o partido na sua campanha de reeleição.

SEXTA-FEIRA, 22 DE FEVEREIRO DE 2013

Pessuti e Richa: Encontro fora de casa

O governador Beto Richa (PSDB) fez um giro no interior nesta quinta e sexta-feira. Em Ivaiporã, teve um encontro inusitado. Trombou com com o ex-governador Orlando Pessuti durante reunião da Amuvi (Associação dos Municípios do Vale do Ivaí). Pessuti destacou as obras que estão sendo levadas pelo governo do Estado na região, mas mesmo assim, o clima ficou estranho. Pessuti foi convidado por Richa para assumir a Sanepar, fez de conta que concordou, mas foi conversar também com Gleisi Hoffmann (PT). A entrada dele no primeiro escalão de Beto Richa está descartada. Resta saber se vai mesmo para onde vai.

QUARTA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2013

Pessuti: PMDB não se entende

Mesmo após o deputado estadual Luiz Eduardo Cheida (PMDB) ter aceitado o convite do governador Beto Richa (PSDB) para a Secretaria do Meio Ambiente, os peemedebistas continuam trocando farpas em público sobre a indefinição de quem participa na equipe de governo.
O deputado estadual Caito Quintana e o ex-governador Orlando Pessuti estão em rota de colisão. Quintana acusa Pessuti de usar a bancada como moeda de troca por estar negociando com Beto Richa e a ministra petista Gleisi Hoffmann.
Pessuti critica Quintana e garante que nunca atuou no PMDB defendendo interesses próprios.
Cansado do impasse em torno das indicações, Quintana avalia que o partido não pode ficar esperando até junho para definir a situação da bancada estadual.

SEGUNDA-FEIRA, 18 DE FEVEREIRO DE 2013

Nereu diz que Pessuti está dividido

O deputado Nereu Moura achou uma maneira inusitada para justificar a indecisão de lado do ex-governador Orlando Pessuti (PMDB), que ora tende para Beto Richa, ora para a adversária do governador, Gleisi Hoffmann (PT). “Pessuti está entre 2 amores”, se referindo ao convite de Richa para assumir a Sanepar e o da ministra para ocupar uma diretoria da Itaipu. Com isso Nereu reduziu a posição de Pessuti a uma dúvida meramente fisiológica. Com um companheiro assim …
Mas segundo peemedebistas, Pessuti quer mais: só aceita ser presidente da Itaipu, cargo que tão cedo não deve sair das mãos do influente Jorge Samek (PT).
Na verdade, as amarras de Pessuti com Gleisi e antecedem o namoro com Beto Richa, pois somente por graça desse relacionamento é que o Sérgio Souza tornou-se Senador e hoje ocupa a vaga da Ministra.
Mudar de lado pode ter um custo alto para Pessuti.

SEXTA-FEIRA, 8 DE FEVEREIRO DE 2013

Meia reforma: Pessuti fica fora e frustra manobra de Beto

Com Romanelli e Cheida no secretariado de Beto Richa, o PMDB deve encerrar a participação no governo. A ida do ex-governador Orlando Pessuti (PMDB) para a Sanepar, após muito impasse e conversas não deve avançar. Peemedebistas que negociam a participação do governo não escondem a irritação com Pessuti, que teria acenado em aceitar a Sanepar, mas agora negocia também com a ministra Gleisi Hoffmann (PT), adversária de Beto Richa.
Os meios de comunicação ligados ao Palácio Iguaçu difundem a informação de que Pessuti teria recebido a oferta de um cargo no alto escalão da Itaipu para melar o apoio do PMDB ao tucano.
É fato que Pessuti já tinha um cargo na Itaipu e que foi ocupado por um de seus aliados na Diretoria Jurídica da empresa, mas que teve que deixar a função por questões que até agora não foram esclarecidas, sendo possível que, tal como Beto está a fazer, o Governo Federal possa estar acenando com alguma vantagem para Pessuti.
Mas também não se pode esquecer que Pessuti tem um a aliança com o PT e que precede os acertos do PMDB com Beto Richa, consolidada com a indicação de Sergio Souza para a suplência de Gleisi na candidatura ao Senado, além da ocupação de outros espaços no Governo Dilma.
Ou seja, ao conversar com Pessuti o Governador Beto Richa sabia quem estava tirando para dançar.

QUARTA-FEIRA, 14 DE DEZEMBRO DE 2011

Mudança silenciosa na Itaipu

Foi divulgada nesta terça-feira (13), no Diário Oficial da União, a nomeação do novo diretor jurídico da Itaipu Binacional. É Cezar Eduardo Ziliotto, advogado trabalhista e ex diretor jurídico da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) que, assim, assume o cargo ocupado por Nildo José Lubke. Ziliotto deve permanecer na direção jurídica da Itaipu até 16 de maio de 2012. A mudança foi realmente silenciosa e surpreendente, já que diretores da Itaipu costumam te longevidade no cargo e Nildo assumiu a função em meados deste ano, segundo os meios políticos por indicação de ex-governador Orlando Pessuti, eis que Nilton foi do primeiro escalão do seu governo. Nildo entrou e saiu rápido.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder