DILMA INVESTE EM 15 AEROPORTOS PARANÁ

O anúncio de que o Governo Federal estará destinando recursos para modernização de 15 aeroportos no Paraná, através do Banco do Brasil, foi feito pelo secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, durante a videoconferência entre representantes de aeroportos e a diretoria da Secretaria de Aviação Civil.
A participação do Goveno do Paraná no processo terá a finalidade de “acelerar a aplicação deste investimentos na construção, ampliação e modernização de novos terminais, seja para agilizar licenças ambientais ou na definição de áreas de utilidade de pública nos entornos dos aeroportos”, disse o secretário.
Trata-se de um programa do Governo Federal para revitalização dos aeroportos brasileiros em cidade pequenas e de médio porte, recentemente anunciado pela Presidente Dilma, no qual o Paraná foi contemplado com 15 aeroportos nesta primeira etapa – Bandeirantes, Cascavel, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Londrina, Maringá, Paranaguá, Pato Branco, Ponta Grossa, Telêmaco Borba, Toledo, Umuarama e União da Vitória.
A previsão de investimentos do Governo Federal é de cerca de R$ 994 milhões para 43 aeroportos da região Sul do Brasil.
Richa Filho disse que outra forma do governo estaduial ajudar os aeroportos é na elaboração de estudos de zoneamento. Estes planos estabelecem como deve ficar o zoneamento do entorno do aeroporto, para evitar problemas de ocupação de áreas urbanas, por exemplo, que atrapalhem ponto de pouso ou áreas de proteção de vôo. Atualmente, apenas o município de Maringá tem o zoneamento já definido e aprovado pelos órgãos de proteção e controle de voo.
A estimativa é que os projetos dos municípios devam ser entregues até 6 de março. Aqueles que não forem apresentados ficarão de fora. Enquanto o governo federal aguarda as propostas dos municípios, o Paraná vai elaborar o plano aeroviário. Com base neste estudo, será possível avaliar as viabilidade de cada aeroporto, mostrando as reais potencialidades para que os terminais se tornem atrativos para investidores.
O problema mais grave do Paraná no setor, no entanto, ainda está sem solução no horizonte. É o caso da construção da nova pista do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, atrasada por muitos anos por falta de iniciativa do Governo do Paraná na desapropriação de áreas laterais á destinada para a nova pista.
No mesmo aeroporto, no entanto, o Governo Federal deu passos no sentido ampliar as áreas de manobras das aeronaves, já quase concluída, e também da ampliação do terminal de passageiros, cujo contrato para construção acabou de ser assinado com a empreiteira que venceu a licitação.

Leia mais:

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

GOVERNO DO PARANÁ LONGE DA PRIORIDADE NOS AEROPORTOS

Plano aeroviário vai determinar investimentos em aeroportos do Paraná

O governador Beto Richa disse nesta terça-feira (05/02) que vai autorizar nos próximos dias o início dos estudos para a elaboração do plano aeroviário do Paraná. O trabalho vai determinar que tipo de investimentos os terminais regionais deverão receber, tanto por parte do Estado quanto do governo federal. “A melhoria da infraestrutura, incluindo os aeroportos, é um dos fatores essenciais para a atração de novos investimentos”, disse Richa ao inaugurar oficialmente as obras de ampliação do aeroporto de Cascavel. A pista foi estendida de 1.618 metros para 1.780 metros. A largura passou de 30 metros para 45 metros, permitindo a operação de aviões de maior porte.
Na reforma do terminal de Cascavel foram investidos R$ 8 milhões, metade dos recursos repassados pelo Governo do Estado, que já aplicou R$ 22 milhões na modernização de vários aeroportos nos últimos dois anos. “Estamos investindo em quase todos os aeroportos do Estado para que o Paraná se torne mais competitivo”, afirmou o governador.
Com a ampliação da estrutura do aeroporto, realizada pela Companhia de Engenharia de Transporte e Tráfego do município, Cascavel agora poderá receber aviões de maior porte, como o Boeing 737 e o Airbus A320.
Além do repasse de material e equipamentos para aumentar a pista, o governo estadual também ajudou no apoio técnico e na sinalização do aeroporto. O aeroporto vai ganhar outras melhorias, como um novo sistema de orientação para o piloto, que auxilia a encontrar o ponto certo da aterrissagem.
O esforço do Governo do Estado é louvável mas ainda está muito longe de enfrentar a principal tarefa e que deveria ser eleita a prioridade absoluta: a construção da nova pista do aeroporto Afonso Pena.
Para que o projeto tenha o seu seguimento é necessário que o Governo do Paraná ultime a desapropriação de uma faixa de terrenos na área contígua à da nova pista e, assim, possibilite que o Governo Federal inclua a obra no PAC e libere os recursos para a sua construção.
Essa obra é que tem o potencial de alterar a economia do Estado na medida em que dotará a região de um aeroporto de carga e de grande porte, capaz de receber os grandes aviões e com sua carga máxima, além de possibilitar que o aeroporto possa receber vôos internacionais de todas as origens e sem restrições, circunstância que poderá tornar a região metropolitana de Curitiba e o Estado do Paraná um dos pólos logísticos mais importantes da América Latina, dada a posição estratégica do aeroporto de São José dos Pinhais, próximo do Porto de Paranaguá, da linha ferroviária e ainda situado no principal entroncamento rodoviário do sul.
Enquanto não compreender bem essa tarefa o Governo do Estado estará longe da sua prioridade fundamental.

TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder