O SUBSÍDIO PAUTARÁ OPOSIÇÃO E BETO ATÉ MAIO

O Governo Estadual ainda tenta reverter o desgaste político a que está se submetendo o Governador Beto Richa em função da não renovação do subsídio ao transporte coletivo concedido a Curitiba e região metropolitano ainda quando o seu aliado Luciano Ducci era prefeito da capital.
Na tarde desta terça-feira, na Assembléia Legislativa, o líder do governo deputado Ademar Traiano protagonizou um episódio que dá a dimensão da cilada política em que Beto está envolvido. Traiano acusou que as contas de Fruet estão erradas e que o impacto que a desoneração do diesel, produzida pela retirada da incidência do ICMS, será de 6 centavos e não de 3 como vem afirmando os cálculos da Prefeitura de Curitiba.
Na busca de amenizar o desgaste de Beto Richa o Palácio divulgou manifestações de diversos prefeitos de cidades importantes do Paraná no sentido de que a desoneração do diesel é importante, mas nenhum deles apresentou o quanto ela poderá representar ao redor dos seus municípios, tampouco se poderá ser determinante para outros processos de integração no Estado do Paraná, semelhantes ao que há na região metropolitana de Curitiba.
É muito pouco provável que as outras regiões metropolitanas do Paraná consigam integrar seus transportes só com a retirada do ICSM sobre o óleo diesel.
Na notícia veiculada no Portal do Governo há até a manifestação do Prefeito Luiz Setim, de São José dos Pinhais, cujo município não participa da integração do transporte na região metropolitana de Curitiba.
Tal como as coisas estão encaminhada o Governador ainda vai sofrer com o tema na pauta até maio, quando terá que a anunciar a nova tarifa da região metropolitana de Curitiba.
A oposição vai arrastar a discussão até lá.

Já há uma iniciativa de um inigmático COMITÊ POPULAR CONTRA O AUMENTO DA TARIFA convocando uma PLENÁRIA para o dia 15.03, às 18 horas, na sede da APP SINDICATO, e o objetivo é:

Plenária aberta a todas as pessoas e organizações populares para organização de uma frente contra o aumento da tarifa do transporte coletivo de Curitiba. Queremos a abertura imediata da caixa-preta da URBS e das empresas de transporte que operam na cidade, como condição de discussão da tarifa do ônibus. Na plenária consolidaremos um comitê popular contra o aumento da passagem e pela abertura da caixa-preta do transporte”. 

Beto Richa é o alvo.

Portal do Governo do Paraná


12/03/2013
Prefeitos apoiam subsídio proposto pelo Estado para o transporte coletivoPrefeitos das grandes cidades do Paraná apoiam a proposta do governador Beto Richa que prevê a isenção do ICMS sobre o óleo diesel usado no transporte coletivo em áreas metropolitanas. “A medida vai agilizar a integração do transporte metropolitano para as cidades de Sarandi e Paiçandu”, disse o prefeito de Maringá, Carlos Pupin. A proposta, na forma de projeto de lei, tramita em regime de urgência na Assembleia Legislativa.
A desoneração motivou a prefeitura de Maringá a agilizar a integração das linhas metropolitanas e urbanas. “A integração do transporte metropolitano é fundamental para o desenvolvimento de toda região de Maringá. E sempre contamos com esse apoio do Governo do Estado”, afirmou o prefeito. Maringá está ultimando os estudos para integração metropolitana do sistema.
Pupin defende também que o governo federal adote medida semelhante à de Beto Richa para subsidiar o transporte público. “Defendemos também a proposta do governador da participação do governo federal com a redução da carga de impostos e contribuições federais que incide sobre o transporte público”, disse.
IMPACTO – O prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira, disse que a proposta de Richa representa a vontade do Governo do Estado de apoiar o transporte público das grandes cidades. “Eu assumi o compromisso que se Curitiba não tiver o aumento na passagem, no dia seguinte da entrada em vigor do benefício vou reduzir de forma proporcional o valor da passagem em Foz”, afirmou Reni Pereira.
O Foztrans – instituto que gerencia o sistema em Foz do Iguaçu – ainda não mediu o impacto da desoneração. “O combustível é um dos principais insumos que entra na planilha do cálculo tarifário. A diminuição da alíquota vai refletir na composição final do preço da passagem”, disse o prefeito.
Reni pediu ao Foztrans que adiante as planilhas com os gastos com diesel nos últimos períodos. “Vamos fazer um comparativo já com a nova alíquota”, disse. Em Foz do Iguaçu, 56,3 mil passageiros utilizam diariamente os ônibus coletivos. O valor da tarifa é de R$ 2,60 para quem usa o cartão único. Mais de 60% da população usa esse benefício. Já quem paga em dinheiro o preço da passagem é de R$ 2,90.
VONTADE POLÍTICA – O prefeito de São José dos Pinhais, Luiz Carlos Setim, diz que a desoneração “é muito importante” e demonstra “a vontade política” do governador em “participar e colaborar” com as cidades da Região Metropolitana de Curitiba. “O Governo do Estado já nos apoia com obras e outros projetos, mas a isenção do ICMS é uma medida mais efetiva no que diz respeito ao transporte público e ao custo da passagem”, disse.
Setim afirmou que vai lutar pela integração completa do sistema de transporte público entre São José dos Pinhais e Curitiba. “Atualmente, temos uma integração parcial das linhas e queremos uma integração total, mas sem que onere mais o Governo do Estado”, completou.
O prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff, calculou o impacto da medida e disse que todo benefício é sempre muito bem vindo. “Fizemos os cálculos e o impacto, com a isenção total do ICMS, pode alcançar R$ 0,0595 na tarifa do transporte coletivo urbano de Londrina. Se o benefício for estendido para grandes municípios como Londrina, será muito bom”.
Londrina tem uma frota de 417 ônibus que operam 129 linhas urbanas e transportam 166,5 mil passageiros por dia. A prefeitura estuda a integração metropolitana com outras cidades, como Cambé, Ibiporã e Rolândia. E ainda planeja implantar até 2018 dois eixos de ônibus BRT, em canaletas exclusivas, para transportar 25,5 mil pessoas – 32% dos londrinenses que usam o transporte público.
ALTERNATIVAS – “A desoneração de ICMS do diesel para o transporte coletivo é uma medida inteligente e de forte alcance. Acredito que o governador Beto Richa conseguiu, com isso, mostrar que é possível oferecer alternativas inteligentes, adequadas e criativas para problemas que para muitos parecem insolúveis”, disse o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel.
Em Ponta Grossa, o sistema de transporte urbano tem uma frota de 197 ônibus, distribuídos em 86 linhas, que transporta diariamente 90 mil pessoas. Os ônibus consomem 500 mil litros de diesel por mês. “Essa desoneração vai aliviar a pressão por reajustes e permitir que se estudem também outras intervenções, em vários níveis, para garantir um transporte coletivo mais eficiente, adequado e funcional”, completou Rangel.
O prefeito de Cascavel, Edgar Bueno, espera que a desoneração alcance também as linhas intermunicipais. “É uma medida louvável que deve ser estendida às cidades que tenham linhas intermunicipais. É dessa forma que estou conversando com os deputados que podem apresentar emendas nesse sentido até aprovação final do projeto”, disse Bueno.
No sistema de transporte público de Cascavel circulam 130 ônibus integrados em três terminais urbanos. “A medida traz um impacto importante na composição da tarifa, o que vai resultar em mais benefício e redução do preço final de passagem. Vai ser ótimo se a desoneração atender as linhas intermunicipais, o que é o nosso caso”, completou.
TWITTER: @jogodopoderpr

FACEBOOK: JP Jogo do Poder