CASA CIVIL QUER CLAREZA NAS DEMARCAÇÕES DE TERRAS INDÍGENAS

A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, determinou a suspensão do processo de demarcações de terras indígenas no Paraná.
A decisão foi tomada depois que um relatório da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) mostrou divergências em relação a estudos da Funai que embasaram pedidos de demarcação de 15 áreas no Oeste do estado do Paraná como reservas indígenas.
Para a Embrapa a presença de índios nas áreas apontadas pela Funai ou é inexistente ou muito recente. O órgão foi acionado pela Casa Civil para elaborar relatórios sobre os pareceres da Funai em processos de demarcação de terras indígenas.
Os ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário também devem elaborar seus próprios estudos. Existem casos em avaliação nos estados do Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Bahia. O estudo relacionado ao Paraná foi apenas o primeiro a ficar pronto. Se os pedidos de demarcação nos demais estados apresentarem o mesmo tipo de divergência, o governo vai determinar a suspensão também nessas regiões.