FRUET FATURA POLITICAMENTE COM SUBSÍDIO DE TRANSPORTE COLETIVO

A Prefeitura de Curitiba vai subsidiar em R$ 22,7 milhões, nos próximos 10 meses, a Rede Integrada de Transporte (RIT). O valor corresponde a 33,4% do total necessário (R$ 68 milhões) para garantir a integração e a tarifa única de R$ 2,85 para usuários de 13 municípios da região metropolitana.
Com a medida, a Prefeitura contribui para garantir a integração do transporte metropolitano, uma vez que os recursos que serão repassados pelo governo do Estado são insuficientes para evitar o reajuste da tarifa metropolitana.
Assim, o governo estadual, que no ano passado assumiu integralmente o custo do transporte metropolitano, neste ano contará com a ajuda do município de Curitiba para fazer frente a este custo.

Leia mais:

BETO CEDE E FRUET VENCE A QUEDA DE BRAÇO DO SUBSÍDIO DO TRANSPORTE INTEGRADO NA RMCeditar

O governador Beto Richa afirmou que deve repassar R$ 40 milhões para auxiliar na integração do transporte com a Região Metropolitana de Curitiba.
O convênio que instituiu o subsídio para repassar para o sistema metropolitano integrado o valor anual de aproximadamente R$ 63 milhões, quando Luciano Ducci era Prefeito, e que vigorou até 7 de maio quando a Prefeitura de Curitiba manteve a integração por mais 30 dias, com recursos próprios, pois Beto Richa havia noticiado que não renovaria o Convênio.
No entanto, Richa agora anunciou que repassará 40 milhões de reais que vão se somar aos 23 milhões da isenção do ICMS sobre o óleo diesel e, portanto, está mantido o subsídio de 63 milhões de reais.
Na queda de braço Fruet fez prevalecer o interesse da região metropolitana e não deixou ao Governador outra alternativa senão a manutenção dos 63 milhões, que Beto chegou a dizer que se tratava de um privilégio injusto em relação a outros municípios do Estado.