SAIU A RESENHA DAS REVISTAS VEJA, ISTOÉ, ÉPOCA E CARTA

As revistas dessa semana estão pobres.

Hollywood e a ciência finalmente se cruzaram! A mulher quase impecável e politicamente correta Angelina Jolie e suas portentosas mamas (mundialmente admiradas nas telas e ainda que perfeitas e saudáveis) entraram para a pauta mundial. Veja se curva ao sinistro fato e não resiste ao estampar na sua capa a decisão da atriz em decepar os peitos por causa da possibilidade de ser cruelmente sentenciada pela natureza num futuro próximo. Coitado daquele cujo bisavo teve um câncer no cérebro, no pênis ou nos testículos e que agora podem passar a ser seriamente ameaçados pela medicina contemporânea. Rezem !!! Mas, no fundo, essa notícia ficou com cara de jogada publicitária de algum interessado no negócio, pois a medida em que esse método já é amplamente praticado pela medicina mundial desde pelo menos meia década. Ou seja, não é nenhuma novidade a não pelo fato da atriz tê-lo utilizado.
Mundo bizarro afora, a revista nos informa que Joaquim Barbosa não dará mole aos mensaleiros e, no melhor estilo representante do Ministério Público no STF, já mandou para as calendas o recurso dos embargos infringentes de Delúbio, colocando os seus pares no bico do corvo, O assunto vai ao Plenário e eles terão que escolher entre a proposta do herói Barbosa, de que não cabe o recurso, ou dos mensaleiros, que cabe o recurso.
Segundo Veja, o presidente Obama adota o mesmo expediente de Lula ao ignorar as sacanas peripécias dos seus principais assessores no subsolo do poder; no estilo se o governo é PT sou contra, diz que a telefonia celular propagada pelo governo federal e tão eficiente quanto uma nota de três reais; que a ex-mulher de Chico Anysio, de 43 anos, agora namora um sujeito de 29 … talvez uma inversão cronológica com suas causas e efeitos. Freud explica !!!
Na política a semanal dá uma puxada no escroto no tucano Aecio Neves, o eterno boa vida neto de Tancredo e que almeja o trono da rainha Dilma. A matéria chapa branca enaltece o cinqüentão mineiro e o coloca como uma ameaça nas próximas eleições presidenciais. Papel e tinta jogados fora !!!
De resto, apenas notícias especuladoras e sem qualquer fundo minimamente notório.

Angelina Jolie também embeleza a capa de Época, que aborda o tema de forma mais sensata e menos alarmista que a principal concorrente. Segundo a revista, Jolie não é nenhuma heroína nem serve de exemplo para todos os casos de propensão ao câncer de mama; a revista mostra que a medicina atual prioriza justamente a cura com a menor agressividade possível ao paciente, e no caso de Angelina, exames periódicos e medicamentos que inibem a formação de tumores podem ser soluções menos drásticas do que a extirpação do seio, o mais gracioso símbolo da feminilidade.
Afora isso, a edição desta semana é um convite ao sono. Pouco empolgam matérias sobre a “geração nerd”, as peripécias do inexpressivo Levy Fidelix e as artimanhas do moribundo Anthony Garotinho – embora seja até divertida, se não fosse trágica, a história do “amigo imaginário” do ex-governador, um empresário fictício com nome e RG criado para acobertar vantagens -.
E, apesar de inútil, é antropologicamente curiosa a entrevista com o lunático holandês que pretende criar um reality show para selecionar candidatos que seriam enviados a Marte em 2023 para que nunca mais voltassem (o que seria um benefício à Terra pela impossibilidade de genes com tamanha dose de imbecilidade se perpetuarem por aqui).

A IstoÉ, sem melhores assuntos a destacar, grita na capa que o tio e advogado da família do menino boliviano morto em jogo da Libertadores pede US$ 220 mil para inocentar os 12 corintianos presos em Oruro. História abjeta, mas irrelevante e similar a milhares de outras testemunhadas diariamente no Brasil. Se essa é a matéria principal … imagine o resto.

A Carta Capital também não leva a lugar algum. O assunto principal é a vidinha miserável dos nossos professores. A Revista tenta desvendar a razão pela qual faltam interessados na profissão e retrata o caso da professora Claudete Borges que dá aula em duas escolas, trabalhando 12 horas por um salário de miséria. Nada que todos já não saibam. A matéria merece um prêmio pela falta de ineditismo, mas não se pode deixar de registrar que, apesar de ser uma revista com boa vontade com alguns setores do PT no Governo Federal, a Câmara dos Deputados já aprovou o novo Plano Nacional de Educação e que – como diria Lula, pela primeira vez na história desse país – compromete uma fatia polpuda do PIB para a educação. Falta a aprovação do Senado. Essa é a única coisa nova na educação e a revista perdeu a oportunidade de levar seus leitores a refletir sobre as consequências disso nas gerações futuras.
No mais a revista fala das escaramuças entre Perillo, magoado com Lula, e Cachoeira, um texto de Marcos Coimbra falando das aventuras de candidatos presidenciais de ocasião (A Síndrome de Collor), dá um cutucão no nosso Monteiro Lobato que, segundo a revista, era admirador da Ku Klux Klan (era o que faltava para o próximo passo que é pintar a preta de banco), que Nelson Barbosa está saindo do Ministério da Fazenda porque teria perdido influência, que Dilma aprovou a MP dos Portos “na marra” (que furo!!!) e que Aécio vem vem falando do “Pibinho irrisório” e da “inflação descontrolada” de Dilma.

Essa resenha recomenda : não façam o exame de sangue que detecta seus defeitos de fabricação … seus pais e avôs não merecem !!! Abs.