Dilma: O Governo Estadual pediu tudo de uma vez só

Segundo observadores brasilienses o Governo Beto Richa foi a Brasília com uma lista pesada e contrariou o que a boa estratégia recomenda. Quem apresenta uma pauta muito cheia acaba levando sempre o menos.

O ideal é pedir pouco e sempre priorizar o mais importante. Quem pede tudo acaba comprometendo o mais importante. Agora é ver o que vai dar, se bem que o governador não esteve presente.

Hoje, em audiência com a ministra Miriam Belchior (Planejamento), representantes do Governo do Paraná apresentaram projetos de mobilidade na região metropolitana de Curitiba que somam R$ 1.257 bilhões.

Entre as obras estão o corredor metropolitano que ligará sete cidades (Colombo, Pinhais, Piraquara, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande, Curitiba e Araucária).

Com 70 km, o valor da obra é estimado em R$ 707 milhões. Outra obra reivindicada é a continuação da Linha Verde até Colombo. Já na região Sul, a continuação da via ligará Curitiba a Fazenda Rio Grande. O valor estimado é de R$ 350 milhões.

Os outros dois projetos são: ligação de uma via exclusiva de ônibus ligando o terminal central de São José dos Pinhais ao terminal da Praça Rui Barbosa, no centro de Curitiba; e linha exclusiva de ônibus ligando o terminal de Pinhais até o centro da capital.

Os paranaenses relataram à ministra a importância de investimentos em regiões metropolitanas do interior como Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu e Cascavel.
Miriam afirmou que o Governo do Paraná foi o único a solicitar uma atenção especial ao interior.

Da comitiva paranaense participaram o vice-governador, Flávio Arns, e os secretários Cássio Taniguchi (Planejamento), Ratinho Júnior (Desenvolvimento Urbano), Amauri Escudero Martins (Representação em Brasília), o prefeito Gustavo Fruet (Curitiba) e o secretário municipal de Planejamento de Curitiba, Fábio Scatolin