A QUEIXA DE FRUET COM OS RESTOS A PAGAR DE DUCCI

grafico pmc

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A queixa do Prefeito Gustavo Fruet com seu atencessor está relacionada com os restos a pagar que permaneceram para o novo prefeito.

O grupo de Fruet argumento que o volume de restos a pagar que ficaram de 2012 para 2013 é inusitado no Município de Curitiba e para isso apresentam gráfico que acusa um levantamento dos restos a pagar desde 2003 até 2012 onde se vê que de 2003 até 2088 os restos a pagar mantiveram-se, na médica, muito abaixo da casa dos 50 milhões de reais.

Nos anos de 2009 e 2010 a média aproximou-se dos 100 milhões de reais, em 2011 foi a quase 300 milhões de reais, período que coincide com a eleição e transição de Beto Richa da Prefeitura de Curitiba para o Governo do Paraná.

Em 2012 os restos a pagar foram de 578,3 milhões, portanto, segundo a nova gestão, totalmente fora dos padrões do que se viu durante a década passada.

Para ajustar as finanças e resolver o défict de 578,3 milhões a nova gestão reduziu despesas e apresentam relatório demonstrando que só as despesas relacionadas com viagens saiu de R$ 887.046,17 em 2012 para 393.036,77 em 2013.

A expetativa da nova gestão é ter um 2014 mais equilibrado que 2013.