REFORMA POLÍTICA: CONGRESSO DE COSTAS PARA O POVO E “CORRE PARA NÃO CHEGAR”.

85% querem reforma politica, revela pesquisa IBOBE-OAB (Foto: Eugenio Novaes)

 

Enquanto os deputados fingem que vão fazer a reforma política através da montagem de comissão (na linguagem esportiva: “correm para não chegar”)  e, assim, retardam o processo para que não possa ser aplicado nas eleições de 2014 e manobram para fazer a reforma que melhor lhes sirva, as ruas querem uma reforma que não seja feita pelo Congresso, uma  que resulte da vontade da população.

Assim o Congresso vai virando as costas para o povo. Um congresso onde a pauta que interessa mesmo é a das emendas impositivas, cujo sentido a população sequer conhece e os que conhecem não conseguem enxergar a importância. São os congressistas cuidando do seu próprio interesse.

Pesquisa IBOPE divulgada nesta terça-feira (6) pelo presidente do Conselho Federal da OAB, Marcus Vinicius Furtado, revela que 85% dos entrevistados são favoráveis à reforma política, e que 92% dos entrevistados são a favor de projeto de lei nesse sentido por iniciativa popular.

Quanto ao financiamento de campanha, 78% dos entrevistados se posicionaram contra a participação de empresas nas campanhas. Noventa por cento opinaram pediram punições mais rigorosas contra a prática de “caixa-dois”.

A pesquisa quis saber, também, qual o melhor modelo para eleger deputados, ficando 56% a favor de mudanças e pela instituição do voto em lista (lista e propostas de candidatos), contra 38% favoráveis à maneira atual, no nome do candidato. Dentre os temas prioritários de propostas, os entrevistados elegeram saúde em primeiro lugar, seguido por educação e controle de gastos do governo.

O IBOBE entrevistou 1.500 pessoas em todo o país de 27 a 30 de julho (site OAB).

Clique aqui para ler o resultado da pesquisa