EM 10 ANOS O BRASIL REDUZIU EM 40% A TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL. VEJA.

Segundo COMMITTING CHILD SURVIVAL: A PROMISE RENEWED – PROGRESS REPORT 2013, da UNICEF, relatório apresentado pelo Diretor Executivo da instituição, Anthony Lake, nos últimos 10 anos, o Brasil reduziu 40% a taxa de mortalidade na infância (menores de cinco anos). O número caiu de 28,4 mortes por mil crianças nascidas vivas, em 2002, para 16,9 óbitos por mil nascidos vivos em 2012. Em relação aos últimos 22 anos, a queda ainda mais expressiva: 68,5%, passando de 54 mortes por mil nascidos vivos em 1990 para 16,9 para 2012 (dados preliminares).

Na divulgação do Relatório de Progresso 2013 sobre o Compromisso com a Sobrevivência Infantil: Uma Promessa Renovadao Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) destacou o Brasil e suas ações para o combate aos fatores que contribuem para a mortalidade na infância. O evento de apresentação do documento foi nesta sexta-feira (13), em Brasília (Ministério da Saúde).

Aqui temos insistido que esse é um mérito decorrente do programa constitucional estabelecido pelo Constituinte de 88 que estabeleceu como tarefa do Estado brasileiro a erradicação da pobreza, da discriminação e das desigualdades regionais.

O Constituinte estava certo e o Estado brasileiro deve insistir na concretização do seu programa constitucional.

Confira apresentação

Brasília – O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, divulga Relatório de Progresso 2013 sobre o Compromisso com a Sobrevivência Infantil: Uma Promessa Renovada