CID VASQUEZ: RODÍZIO NO GAECO É DEFINITIVO E ESPERA FICAR NA SECRETARIA EM 2014

O Secretário de Segurança Cid Vasques esteve no Jogo do Poder deste domingo e reafirmou que a implantação do rodízio no Gaeco, com a limitação da permanência dos agentes da Polícia Civil e Militar no órgão é fato irrversível.

Cid esclareceu que se trata de uma antiga reivindicação dos comandos das polícias e que vêem no rodízio uma forma de arejamento e melhoria dos quadros das polícias na medida em que os agentes que passam pelo Gaeco podem voltar para as forças e replicar a experiência que acumularam no órgão.

O Secretário informou também que o rodízio já está na segunda etapa e que, com algumas exceções, a experiência está se afirmando sem maiores dificuldades e, com isso, viabilizando uma atuação que julga “necessária e importante”, que é o trabalho do Gaeco.

Cid, que é do MP, se disse um defensor da parceria com o Gaeco e do Ministério Público fazer investigação criminal, mas que esse procedimento deve ser regulamentado.


Cid também informou que espera permanecer na Secretaria já que o Governador Beto Richa solicitou a prorrogação da sua licença para que fique no Governo em 2014, argumentando que se trata de um sistema de cooperação entre Executivo e Ministério Público que não implica em cessão de pessoal só para o Gaeco, mas também para funções de planejamento. Segundo Cid, hoje existem certa de 19 funcionários do Governo cedidos para o Ministério Público e que também terão que ter suas licenças renovadas. “É uma parceria de mão dupla”.

Durante o programa Cid fez uma ampla explanação do trabalho que vem sendo realizado frente a Secretaria de Segurança, destacando a estatística, a renovação da frota de viaturas, a implantação de módulos móveis em caminhonetes com tecnologia embarcada, a possibilidade de preencher as vagas decorrentes de aposentadoria nos contingentes da polícia civil e militar, o trabalho realizado no interior e que espera poder chamar concursados aprovados tão logo o governo tenha disponibilidade orçamentária para tanto com o fim de aumentar os contingentes das polícias.