EDUARDO CAMPOS AGORA É VIDRAÇA. VAI SOFRER E TER QUE OUVIR QUE MARINHA, O FANTASMA, É MELHOR.

Eduardo Campos vai definitivamente para a vitrine como candidato a Presidente da República com a ida dos programas do PSB ao ar nesta quinta-feira em rede nacional. Será a estrela do programa e vai insistir na linha de que o que as pessoas mais querem hoje de um governo são oportunidades. “Com respeito e compromisso é possível fazer mais, fazer diferente e fazer benfeito”, aponta ele. “E o PSB quer ser o caminho para a gente continuar levando esse País para dias melhores”. É a justificativa para a mudança de posição, depois de 10 anos na base do Governo Federal e aliado do PT. A questão é saber se o discurso ganhará credibilidade no longo caminho até outubro de 2014.

O programa partidário do PSB traz ainda outra importante novidade: a participação da ex-senadora Marina Silva, uma das fundadoras do Rede Sustentabilidade e que no último sábado (05) se filiou ao PSB, após ter negado pelo TSE o seu registro como partido.

A partir daí Eduardo Campos terá uma enorme sombra: Marina Silva.

A partir daí virá a cobrança sobre seu desempenho nas pesquisas de opinião. Se não subir, a cada pesquisa, inexoravelmente virá o murmúrio de que Marinha é a melhor alternativa para o PSB e os conflitos internos também vão ganhar maior dimensão.

Aliás, já há ruído e foi estampado na declaração do Deputado Rolemberg ontem: “Não tem isso de discutir lá na frente posição na chapa. A candidatura posta é a de Eduardo e ela vai até o dia da eleição. A cabeça de chapa se chama Eduardo Henrique Accioly Campos e esse será o nome na urna no dia da eleição”. Foi uma reação a um ato falho de Marina ontem quando deixou escapar que poderá vir a ser candidata.

Agora Eduardo Campos vai para o centro do combate e começa o seu calvário.

Tal como Dilma, quando alguns aliados falavam, até recentemente, na volta de Lula, entre eles, o próprio Campos.