GOVERNO DO PARANÁ VAI EM BUSCA DOS CRÉDITOS PODRES DO BANESTADO

A Assembleia Legislativa aprovou nesta terça-feira (08), em redação final,  o projeto que cria o programa de recuperação das dívidas referentes a financiamentos concedidos pelo banco Banestado, antes do processo de privatização. O novo projeto do governo unifica as leis em vigor e estabelece as mesmas regras e benefícios para todos os devedores, como desconto de 50% para pagamento da dívida à vista, redução de até 40% para pagamento parcelado e renegociação do saldo devedor. O projeto só depende agora da sanção do governador Beto Richa para virar lei.

Com a medida, o Governo do Paraná quer incentivar o pagamento e a renegociação das dívidas de 1.243 devedores que estão com três mil contratos em atraso. Desse total, 97% estão em cobrança judicial. A estimativa do governo do Paraná é recuperar ao menos R$ 200 milhões.

“O governo usou como base o melhor benefício legal existente e propõe critérios justos para todos os devedores da carteira dos ativos do Banestado. Com isso, pretende incentivar as renegociações”, afirmou o deputado estadual Ademar Traiano (PSDB), líder do governo na Assembleia.

A proposta, segundo Traiano, beneficia também aqueles que estão com os contratos em dia e querem quitar o saldo devedor. O mutuário que tiver contrato igual ou inferior a R$ 45 mil estará dispensado do pagamento da dívida. Estão nessa situação 66 devedores, a maioria deles tem como atividade profissional a agricultura familiar.

O saldo atualizado da carteira de desenvolvimento do Banestado é de R$ 1,5 bilhão, considerando a padronização das taxas contratuais.

Dos recursos recuperados pelo governo, 90% serão integralizados junto ao Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE) e 10% vão para o capital social da Fomento Paraná. Segundo Ademar Traiano, o dinheiro será usado para que o governo possa aumentar o patrimônio líquido do FDE e oferecer financiamentos para projetos estratégicos a taxas bem menores do que as praticadas pelo mercado bancário, como já vem sendo feito pelo governo.