MENSALÃO: JOÃO PAULO CUNHA USA INFRINGENTES PARA AFASTAR CONDENAÇÃO E PRESERVAR MANDATO

 

O deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), com condenação de 9 anos e 4 meses de prisão no processo do mensalão protocolou o recurso de Embargos Infringentes no STF onde postula a absolvição no crime de lavagem de dinheiro e que a decisão sobre eventual cassação de mandato seja da Câmara e não do Plenário do STF.

João Paulo usa o argumento de que o senador Ivo Cassol (PP-RO) foi condenado a quatro anos oito meses de prisão e o STF entendeu que o Senado deveria decidir sobre a cassação.

João Paulo Cunha foi condenado por maioria de votos (11 x 40 no crime de lavagem de dinheiro a três anos de prisão e argumenta que não só não sabia da origem ilícita do dinheiro como também não foi partícipe de nenhum dos núcleos da quadrilha.

O dia 11 de novembro é o prazo fatal para que todos os 12 réus que ganharam o direito de recorrer possam protocolar os seus Embargos Infringentes e a partir daí o STF poderá, após a manifestação do Ministério Público, julgar o recurso.