DATACENTERS DE EMPRESAS DE INTERNET PODERÃO SER OBRIGATÓRIOS NO BRASIL

O governo federal defende a possibilidade, e não a obrigatoriedade, de que empresas de internet implantem datacenters no Brasil a partir da aprovação do Marco Civil da Internet. A afirmação é do gerente de projeto Marcelo Leandro Ferreira, do Ministério das Comunicações, que representou a pasta em seminário internacional promovido pela Associação Brasileira de Direito da Tecnologia da Informação e das Comunicações (ABDTIC), em São Paulo.

Segundo ele, a proposta atual é que provedores internacionais possam manter centros de dados fora do país, desde que isso não sirva de desculpa para deixar de conceder informações em decisões do Judiciário. “Está hoje no projeto de lei que o Poder Executivo pode exigir que ele apresente os dados aqui. Assim, se a Justiça pedir, o provedor não vai poder alegar que o dado está fora e sujeito à legislação de outro país”, afirmou.

Ferreira disse que a proposta sobre os datacenters é do relator do projeto de lei em tramitação no Congresso, Alessandro Molon (PT-RJ). Mas o deputado federal afirmou em entrevista à Folha de S.Paulo que o pedido de inclusão do tema foi feito pela presidente Dilma Rousseff após escândalos de espionagem em vários países.

Ainda segundo Ferreira, as empresas poderiam solicitar auxílio do governo federal para a implantação dos datacenters brasileiros. “Hoje, qualquer empresa da área de telecomunicações pode entrar com projeto no ministério pedindo a desoneração de alguns impostos federais, uma possibilidade inclusa no regime especial do Plano Nacional de Banda Larga.” (Conjur).

VÍDEO COM JOÃO ARRUDA E CRISTIANO BASSA: MARCO CIVIL DA INTERNET FOI O ASSUNTO DO JOGO DO PODER PR

editar

O deputado federal João Arruda (PMDB) e o comunicador digital Cristiano Bassa foram os entrevistados do Jogo do Poder Paraná do último domingo (17/11). O projeto “Marco Civil da internet” foi o assunto do bate-papo comandado pelo advogado Luiz Carlos da Rocha. A entrevista foi ao vivo, direto dos estúdios da Rede CNT, em Curitiba.

Assista a entrevista: