LULA E FHC FALAM DAS BOAS LEMBRANÇAS COM MANDELA

 

O ex-presidente Lula falou sobre o seu primeiro encontro com Mandela, em Cuba, há 19 anos, e registrou que “ser humano especial morreu hoje. Eu tive a grata satisfação de ter feito parte de uma geração que brigou contra o Apartheid. Tive o prazer de me encontrar com o companheiro Mandela em Cuba, na comemoração do Primeiro de Maio. Jantar em Varadero com Mandela e Fidel Castro. A gente pensa que as conquistas materiais são as mais importantes. Lá (na África do Sul) multidões de pessoas ficavam desfilando em volta do palácio para chegar perto dele. Antes, o povo negro não podia chegar nem perto do palácio. O grande legado do Mandela foi fazer com que o povo negro da África do Sul descobrisse algo que parece simples, mas não é. Se a maioria era negra, não tinha o maior sentido de os brancos governarem o país.”

 

Fernando Henrique Cardoso lembrou que Mandela foi “o maior símbolo vivo da luta pela dignidade humana, pela liberdade e pela democracia. Sua altivez, seu antirracismo e sua generosidade ajudaram decisivamente a terminar com o apartheid na Africa do Sul. Eleito presidente, continuou lutando contra o atraso e a pobreza. Posteriormente, encampou a luta pela preservação das florestas úmidas e contra a disseminação da AIDS. Desde que o conheci quando visitou o Brasil, no inicio dos anos noventa, mantive contatos com ele e com sua mulher, Graça Machel que era boa amiga da Ruth. Há cerca de seis anos, Mandela criou um grupo cujos membros escolheu, chamado os Elders, os Anciões. Tive a honra de ser indicado por ele para fazer parte desse grupo, ao lado de outros companheiros, dentre os quais sua mulher; o arcebispo Desmond Tutu, Kofi Annan, Jimmy Carter. Pude, dessa forma, vê-lo em ação”.