SCIARRA: ENTRE RIOS TERÁ PRIMEIRO BIOGASODUTO DO PAÍS

O município de Entre Rios do Oeste, a 700 Km de Curitiba, vai ganhar o primeiro biogasoduto do país, para gerar energia a partir do gás produzido por dejetos de suínos. A Copel confirmou na manhã desta segunda-feira (13) que irá financiar o projeto com recursos do fundo de Pesquisa e Desenvolvimento, aprovado pela Aneel, na ordem de R$ 19,5 milhões, em reunião agendada pelo deputado Eduardo Sciarra, com a participação do prefeito do município, Jones Neuri

“Esta reunião dá o ponta-pé inicial neste projeto inovador de aproveitamento dos dejetos de suínos que hoje representam uma ameaça de contaminação à região do lago de Itaipu”, enfatizou o deputado Eduardo Sciarra, que acompanhou a reunião e é um dos articuladores do projeto.

De acordo com o secretário executivo da Associação de Desenvolvimento do Extremo Oeste do Paraná (Adeop), Elsídio Cavalcante, Entre Rios do Oeste possui menos de 4 mil habitantes e cerca de 130 mil cabeças de suínos, distribuídas em 96 granjas. Desse total, 63 propriedades abastecerão o biogasoduto, cuja rede abrangerá dois terços do território do município. As demais propriedades deverão participar da segunda etapa do projeto.

O gás será captado por meio de biodigestores instalados nas granjas, cuja aquisição será facilitada com financiamentos oficiais. Os biodigestores são equipamentos facilmente encontrados no mercado. “Esse gás é produzido pela ação de bactérias nos tanques de esterco”, explicou Cavalcante. “A grande novidade será a construção da rede de dutos até a usina que transformará o gás em energia elétrica”.

Estima-se a produção de energia suficiente para abastecer uma cidade com 40 mil habitantes. Além do abastecimento residencial, comercial e industrial de toda Entre Rios do Oeste, a Copel poderá comercializar o excedente produzido. Parte do gás, de acordo com Cavalcante, será vendido para indústrias da cidade.

A Adeop é uma Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) e elaborou o projeto a pedido da Itaipu Binacional, que possuía um projeto-piloto em Marechal Cândido Rondon. A escolha de Entre Rios para implantar o biogasoduto ocorreu em função do seu perfil econômico e grande quantidade de granjas de suínos. A Itaipu participará do projeto por meio do Instituto de Tecnologia Aplicada e Inovação e da Fundação de Pesquisa Tecnológica, ambas mantidas pela Itaipu.