AZEREDO: PSDB ENTREGA OS ANÉIS PARA FICAR COM OS DEDOS

A renúncia do deputado federal Eduardo Azeredo, do PSDB, ex-governador de Minas Gerais e uma das mais expressivas lideranças nacionais do partido, tem o claro objetivo de retirar o julgamento do chamado Mensalão Mineiro do teatro do STF e, assim, evitar o constrangimento da legenda em rede nacional, como ocorreu no caso do julgamento do Mensalão do PT.

Trata-se da estratégia de dar os anéis para não perder os dedos, absolutamente correta e prudente sob o ponto de vista político no ano eleitoral, em que justamente um mineiro vai concorrer ao cargo de Presidente da República pelo PSDB. Renunciando Azeredo, deixa de existir o foro privilegiado e o julgamento deve, ou deveria, ser remetido para a primeira instância. Obediente e solidário com o partido, Azevedo se submeteu à estratégia.

Resta saber se o STF vai concordar com a manobra.