DILMA ESCOLHE NÉFI CORDEIRO PARA MINISTRO DO STJ

A presidente Dilma Rousseff escolheu nesta quarta-feira (12/2) os novos integrantes dos tribunais superiores.

O desembargador Néfi Cordeiro, do Tribunal Regional da 4ª Região, foi escolhido ministro do Superior Tribunal de Justiça.

Néfi Cordeiro é veterano de listas tríplices. Já foi candidato outras duas vezes e, como de praxe, na terceira foi nomeado. Quando da definição da lista tríplice encaminhada à presidente, ele foi o mais votado — era o candidato do presidente do STJ, ministro Felix Fischer -, e no Planalto tinha simpatia dos Ministros Gleisi Hoffmann, Gilberto Carvalho e Paulo Bernardo.

Na gestão de Fischer, também com a simpatia dos mesmos ministros Gleisi, Gilberto e Bernardo no Planalto, Dilma já havia nomeado Sérgio Kukina, também paranaense.

Ministro Sérgio Kukina

Concorriam com ele os desembargador Ítalo Fioravante Mendes (TRF-1) e Luiz Alberto Gurgel de Faria (TRF-5). Ele entra na vaga do ministro Castro Meira, destinada à Justiça Federal.

Além de Néfi, o desembargador Douglas Alencar Rodrigues, do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF/TO), foi escolhido para o Tribunal Superior do Trabalho; e o advogado Tarcísio Vieira de Carvalho Neto é o novo ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral, em uma das vagas destinadas à advocacia.

O desembargador do trabalho Douglas Rodrigues é funcionário antigo da Justiça do Trabalho e, como técnico judiciário, já integrou os quadros do próprio TRT-10 e do TRT-15, em Campinas (SP). Foi conselheiro do Conselho Nacional de Justiça no biênio 2005-2007.

Já Tarcísio Vieira de Carvalho Neto será ministro substituto do TSE, em uma das vagas destinadas a advogados. O TSE é composto por 14 ministros, sete titulares e sete substitutos. As vagas são reservadas em grupos. Das 14, seis se destinam ao Supremo Tribunal Federal, quatro ao STJ e quatro a advogados. Carvalho Neto foi nomeado numa lista em que concorriam Alberto Pavie Ribeiro e Joelson Costa Dias.

A presidente Dilma ainda tem em mãos as listas tríplices de nomes que ocuparão vagas nos tribunais regionais federais. No entanto, essa decisão ficou para depois. A informação que circula em Brasília é que os nomes dos futuros desembargadores federais devem ser escolhidos no fim do mês.