METRÔ, LINHA VERDE, CONTORNO SUL: COM FRUET, DILMA ATENDEU CURITIBA COM 5,6 BILHÕES DE VERBAS FEDERAIS

Na sexta-feria que antecede o dia das mães a Presidente Dilma deu uma de mãe com Curitiba. Além de certificar-se que a Arena da Baixada, a Avenida das Torres e o Aeroporto Afonso Pena vão estar prontos para a Copa, participou do ato que deu início à caminhada tão sonhada dos curitibanos para ter o Metrô, além de outras obras reivindicadas desde muito tempo.

Atendendo a pedido dos curitibanos, presidente Dilma anunciou inclusão do Contorno Sul no PAC 2

09/05/2014 18:11:00

O Contorno Sul fazia parte de um conjunto de nove projetos apresentado pela Prefeitura ao governo federal no ano passado. Na época, a União deu prioridade a projetos que envolvem transporte de média e alta capacidade e comprometeu-se a liberar recursos apenas para quatro projetos do pacote, cujos termos de compromisso também foram assinados nesta sexta-feira: o metrô, a ampliação da capacidade e velocidade das linhas de ônibus BRT, a remodelação da linha Inter 2 e a conclusão da Linha Verde.

Agora, com o anúncio feito pela presidente Dilma, o governo federal destinará mais R$ 400 milhões para Curitiba – valor aproximado, segundo a presidente, da obra do Contorno Sul. A intenção, segundo ela, é realizar a licitação até o fim de agosto, por meio do Regime Diferenciado de Contratacoes (RDC).

O projeto

O Contorno Sul começa na BR-227, na altura do bairro Orleans, perto do posto da Polícia Rodoviária Federal, e estende-se em direção ao sul, até a BR-116, na altura do trevo da Ceasa.

O projeto de remodelação do Contorno está sendo elaborado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), em parceria com o Ippuc – em razão das interferências do traçado na área urbana, principalmente na parte sul da Cidade Industrial.

O projeto prevê a construção de novas trincheiras e a adequação de outras que já existem (perto da Volvo, na Rua Eduardo Sprada e na Joao Bettega).

Pistas e passarelas

Também esta prevista a construção de passarelas para pedestres. As pistas rodoviarias do contorno serão alargadas, com a implantação de uma faixa a mais de cada lado. Assim, ficarão três faixas de tráfego por sentido.

Além disso, está prevista a implantação da marginal direita da Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, que hoje tem apenas uma marginal. Assim, o Contorno passará a ter duas marginais com sentido único, formando um binário. Também serão requalificadas as conexões em forma de agulhas da JK com o Contorno Sul, hoje feitas de forma muito improvisada. A obra é essencial para a região, dado o grande adesamento populacional ao longo da via. Nas vias marginais também serão implantadas calçadas, paisagismo, iluminação pública e ciclopistas.

Com esse conjunto de obras, a parte rodoviária do Contorno Sul será transformada numa via expressa, deixando o tráfego urbano para as marginais e reduzindo os pontos de conflito e os consequentes acidentes.

principal

Em cerimônia com a presença da presidente Dilma Rousseff, o prefeito Gustavo Fruet assinou nesta sexta-feira (9) o edital de licitação da primeira linha do metrô de Curitiba. O edital será publicado nos próximos dias. Além do lançamento do edital do metrô, foram assinados termos de compromisso para a liberação de recursos federais para três outros projetos de mobilidade que, juntos, configuram a maior intervenção em mobilidade urbana já realizada na cidade e vão transformar Curitiba em uma cidade multimodal.

Os três projetos incluídos no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) da Mobilidade são: a ampliação da capacidade e velocidade das linhas de ônibus BRT, a remodelação da linha Inter 2 e a conclusão da Linha Verde. Somados, os quatro projetos receberão investimentos de R$ 5,2 bilhões.

Somente no metrô serão investidos R$ 4,7 bilhões, dos quais R$ 1,8 bilhão  virão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2) do governo federal, a fundo perdido. A Prefeitura, o governo do Estado – representado na cerimônia pelo vice-governador Flavio Arns – e a iniciativa privada completarão os recursos necessários para a obra. O Municipio e o Estado entrarão com R$ 700 milhões cada e o restante caberá à empresa vencedora da licitação.

“É um dia histórico para a cidade. Temos muito orgulho de Curitiba e de sua história, mas a cidade cresceu nos últimos anos mais que sua capacidade de intervenção. Precisamos apressar o passo e a mobilidade é o grande nó a ser desatado, pela força que tem como fator de desenvolvimento e produtividade”, disse o prefeito Gustavo Fruet.

A presidente Dilma Rousseff destacou que investimento em mobilidade é essencial para a construção de cidades mais humanas e disse que Curitiba tem agora uma oportunidade que outras grandes cidades brasileiras, como São Paulo e Rio de Janeiro, não tiveram. “Nós podemos iniciar agora um processo de parceria, para garantir à população um transporte rápido, seguro e eficiente. Isso significa poupar tempo dos usuários, garantir uma vida mais humana e permitir que as pessoas se apropriem dos espaços urbanos”, afirmou.

Lição de casa

O prefeito Gustavo Fruet disse que, para chegar ao dia da assinatura do edital do metrô, a administração municipal precisou fazer a “lição de casa”. “Fizemos no último ano um forte ajuste fiscal, mostramos capacidade de fazer projetos e conduzimos esse processo com transparência e participação da sociedade”, afirmou.

O prefeito destacou o fato de o edital do metrô ter sido elaborado por uma equipe de profissionais da Prefeitura. Ele também lembrou os investimentos já feitos em mobilidade na cidade, que somam R$ 250 milhões em um ano – valor que inclui quatro trincheiras e três viadutos.

“Agora, estamos perto de lançar os editais para mais três grandes projetos, com recursos do PAC da Mobilidade, e nos próximos dias publicaremos o edital de licitação do metrô, um projeto que resulta da soma de esforços entre a Prefeitura, o governo federal e o governo estadual”, disse Fruet. O vice-governador Flavio Arns também destacou a importância da soma de esforços entre as várias esferas de governo. “Juntos podemos fazer milagres em favor da cidadania”, disse.

A partir da publicação do edital, as empresas ou consórcios interessados terão 45 dias para apresentar suas propostas. Tanto a entrega das propostas quanto o leilão que definirá o vencedor da licitação – em caso de haver mais de um concorrente –  ocorrerão nas dependências da BMF&Bovespa, em São Paulo. A previsão é que o vencedor da licitação seja conhecido em 60 dias.

Os outros três projetos de mobilidade, também aprovados pelo governo federal, via Ministério das Cidades, somam R$ 574,3 milhões. Desse total, R$ 408 milhões virão do Orçamento Geral da União (OGU) e o restante será proveniente de recursos próprios da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Com essas obras, Curitiba completará o projeto de BRT da Linha Verde, transformando-a em uma via de integração metropolitana. Serão três linhas de BRT somente na Linha Verde. Além da atual Pinheirinho- Centro, que será transformada em CIC-Sul/Centro, os recursos irão permitir a instalação da linha Atuba-Centro e a linha Atuba/CIC-Sul.

A cidade ainda ganhará mais 68 quilômetros de canaletas e faixas exclusivas para ônibus (um aumento de 85% sobre os 80 quilômetros atuais), além da readequação de mais 28 quilômetros, previstos no projeto do BRT.