Beto aposta em infidelidade no PMDB e se refere a Requião como “governador aposentado”

Hoje, em solenidade em frente do Palácio Iguaçu, com a presença de deputados do PMDB (Caíto Quintana, Ademir Bier, Stephanes Júnior, Artagão Filho, Alexandre Curi, Luiz Claudio Romanelli), o governador Beto Richa (PSDB) disse recebeu “com muita tranquilidade” o resultado da convenção peemedebista que decidiu por candidatura própria. “A minha coligação é a mesma que me elegeu no primeiro turno em 2010, acrescida do PR e do PSC do deputado Ratinho Júnior”, disse Beto Richa.

“Quem deve estar preocupado é o governador aposentado, pois o partido dele está rachado. Eu tive 40% dos votos do partido dele pela coligação comigo. Imagine só, se ele viesse disputar o meu partido comigo, ele não teria um único voto. Eu estou satisfeito com a minha coligação, que é ampla, tem partidos importantes, os mesmos que me levaram à vitória em 2010”, completou Beto Richa.

O governador adiantou que do PMDB tem apoio de prefeitos de “cidades importantes, lideranças regionais e também de deputados que apoiam” à sua candidatura e citou os deputados Alexandre Curi (mais votado do Paraná) e Romanelli (liderança histórica do PMDB). “Ontem, por exemplo, recebi o apoio do prefeito de Assis Chateaubriand, Marcel Micheletto, presidente da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná”.