Com críticas à política econômica Lula se apropria do discurso da oposição

Nesta semana o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a formular críticas à política da econômica Dilma Rousseff.

Em palestra promovida pelo jornal El País, em Porto Alegre, Lula criticou publicamente o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, que estava na plateia e hoje é um dos principais nomes da área econômica do governo federal.

“Se depender do pensamento do Arno você não faz nada. Não é por maldade dele, não. A nossa tesoureira em casa é a nossa mulher e também é assim. Elas não querem gastar, só querem guardar, mas tem que gastar um pouco também”, disse Lula.

Foi a segunda vez em menos de dois dias que Lula reclamou da economia. Na véspera, em palestra promovida pela revista Voto, também em Porto Alegre, o ex-presidente disse estar insatisfeito com as projeções de inflação e defendeu que o governo aplique um “remédio já” para evitar o descontrole dos preços.

Trata-se de uma manobra hábil de Lula que, com a sua genialidade política, tem o objetivo de esvaziar o discurso da oposição no tema.

Vai conseguindo na medida em que o discurso da oposição vai se perdendo no lacerdismo moralista ao se concentrar apenas no tema da corrupção, tratando da economia apenas superficialmente.