Porto de Paranaguá terá que refazer consultas públicas para novas áreas privadas

A proposta que o superintendente do Porto de Paranaguá, Luiz Dividino Neto, de reduzir os limites da área pública para tão somente 1,2 milhão de metros quadrados e abrir à exploração privada os mais de 5 milhões ociosos teve encaminhamento na Secretaria Especial de Portos (SEP).

As novas áreas permitirão a instalação principalmente de portos especializados em contêineres – setor em que o estado é deficitário (dispõe apenas do TCP, o Terminal de Contêineres do Paranaguá). Na imensa área que poderá ser liberada a empreendedores privados – incluindo o já projetado Porto de Pontal – outros terminais poderão nascer, triplicando a atual capacidade de movimentação de cargas de Paranaguá.

Agora a Secretaria Especial de Portos deu seu aval às propostas e com uma condição: que elas sejam novamente submetidas a audiências públicas.