SEM DECISÃO DO STF SOBRE DOAÇÕES DE EMPRESAS, CAMPANHAS VÃO CUSTAR QUASE 1 BILHÃO DE REAIS

Somados todos os valores que cada candidato à Presidente da República vai gastar os valores podem atingir R$ 1 bilhão, tal como informam os pedidos de registro de candidatura entregues pelos candidatos à Justiça Eleitoral.
A campanha do PT registrou um custo de R$ 298 e o PSDB R$ 290 milhões como limite de gastos.
Os valores serão usados para a produção do programa de TV –que tradicionalmente é a parte da campanha que gera mais custos, além de custos como eventos e a impressão de material de campanha.
Se esses números se confirmarem, o valor total de limite de gastos de 9 dos 10 presidenciáveis será de R$ 870 milhões.
O candidato do PSB, Eduardo Campos, registrou sua candidatura na última quinta-feira (3), tendo informado que seu limite de gastos será de R$ 150 milhões.
O Supremo Tribunal Federal está julgando a constitucionalidade da lei que autoriza doações de empresas para as campanhas eleitorais e, apesar da maioria dos ministros já ter votado pela proibição das doações de empresas, o julgamento está suspenso por um pedido de vista do Ministro Gilmar Mendes, sem data para que seja retomado.